Previdência: ‘É preciso pressionar o quanto pudermos’

Jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, com base no balanço divulgado pelo Estado de S.Paulo nesta quarta-feira 5, destaca que Michel Temer terá que mais que triplicar os votos no Congresso se quiser aprovar a reforma da Previdência; "Quanto mais se afigura difícil a aprovação, mais votos vão sendo empurrados para o "não". Afinal, porque se desgastar com um sim inviável?", questiona; "Temer vai jogar a sua própria sobrevivência nisso. É preciso pressionar o quanto pudermos", ressalta Brito

Jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, com base no balanço divulgado pelo Estado de S.Paulo nesta quarta-feira 5, destaca que Michel Temer terá que mais que triplicar os votos no Congresso se quiser aprovar a reforma da Previdência; "Quanto mais se afigura difícil a aprovação, mais votos vão sendo empurrados para o "não". Afinal, porque se desgastar com um sim inviável?", questiona; "Temer vai jogar a sua própria sobrevivência nisso. É preciso pressionar o quanto pudermos", ressalta Brito
Jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, com base no balanço divulgado pelo Estado de S.Paulo nesta quarta-feira 5, destaca que Michel Temer terá que mais que triplicar os votos no Congresso se quiser aprovar a reforma da Previdência; "Quanto mais se afigura difícil a aprovação, mais votos vão sendo empurrados para o "não". Afinal, porque se desgastar com um sim inviável?", questiona; "Temer vai jogar a sua própria sobrevivência nisso. É preciso pressionar o quanto pudermos", ressalta Brito (Foto: Gisele Federicce)

Por Fernando Brito, do Tijolaço

O Estadão começou a publicar um "placar da Previdência", resumindo os votos dos deputados diante da proposta enviada por Michel Temer. E o resultado é avassalador: 242 votos contrários, mesmo que se faça "remendos":

Se a votação fosse hoje, nem uma proposta com regras mais brandas para a aposentadoria e pensões seria aprovada.

Apenas 97 se disseram favoráveis à reforma na essência, mas quase todos (88) com pequenas mudanças na idade mínima para mulheres e outros ajustes.

Isso quer dizer que temer teria mais do que triplicar os votos que hoje possui, porque precisa de 308 votos favoráveis.

Mesmo que todos os indecisos, os que não quiseram responder e também todos os que ainda não foram abordados pelo jornal votassem com temer, ainda faltariam 37 votos para a aprovação da emenda.

Renan Calheiros não abriu dissidência com Michel Temer de "bobinho".

Quanto mais se afigura difícil a aprovação, mais votos vão sendo empurrados para o "não". Afinal, porque se desgastar com um sim inviável.

Como disse o cacique alagoano: quem não quer ouvir, erra sozinho.

Consulte na página do Estadão o voto de cada deputado. Há também o e-mail, para quem lhes quiser mandar mensagem.

Temer vai jogar a sua própria sobrevivência nisso. É preciso pressionar o quanto pudermos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247