Quase 1/5 dos seguidores de Moro no Twitter seriam robôs

Renato Sérgio de Lima escreve no Faces da Violência, da Folha de S. Paulo deste domingo (28), que quase 1 em cada 5 seguidores do perfil do ministro Sérgio Moro pode ser robô; ele explica

Quase 1/5 dos seguidores de Moro no Twitter seriam robôs
Quase 1/5 dos seguidores de Moro no Twitter seriam robôs (Foto: Reprodução Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Renato Sérgio de Lima escreve no Faces da Violência, da Folha de S. Paulo deste domingo (28), que quase 1 em cada 5 seguidores do perfil do ministro Sérgio Moro pode ser robô.

Ele explica:

"Usando a aplicação disponível no site TweetBotOrNo, criada por Michael W. Kearney, professor da Escola de Jornalismo do Instituto de Informática da Universidade do Missouri, foi possível calcular a probabilidade de robôs serem seguidores do Ministro Sérgio Moro. Com base nesta técnica, analisamos 583.171 seguidores do ministro em 09/04/2019 e, assumindo 75% de probabilidade de respostas positivas e refazendo a conta três vezes, com amostras diferentes, é possível dizer que ao menos 17,3% dos seguidores de Moro naquela data eram bots.

Ou seja, quase 1 em cada 5 seguidores do perfil do Ministro Sérgio Moro naquela data tinham as características de perfis robotizados. Em geral, esse perfis são utilizados para combater ou ampliar determinadas causas ou propostas e, por isso, todas as cautelas são necessárias quando se discute “apoios” ou “tendências” medidos pelas redes sociais. Elas podem conter vieses difíceis de serem filtrados e ponderados."

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247