Reinaldo Azevedo: Witzel atira contra pobres e vai a hotel de luxo

O jornalista Reinaldo Azevedo criticou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, por embarcar em um helicóptero e coordenar um ataque a balas da polícia contra uma comunidade pobre de Angra dos Reis; "Depois de participar de uma operação que despejou uma saraivada contra áreas em que moram pobres, o governador foi curtir um pouco a vida entre os ricos", critica o jornalista

Reinaldo Azevedo: Witzel atira contra pobres e vai a hotel de luxo
Reinaldo Azevedo: Witzel atira contra pobres e vai a hotel de luxo

247 - O jornalista Reinaldo Azevedo criticou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, por embarcar em um helicóptero e coordenar um ataque a balas da polícia contra uma comunidade pobre de Angra dos Reis. 

"Witzel pretende ser uma alternativa ainda mais truculenta ao, vamos dizer, bolsonarismo de raiz. Se o presidente conta com generais no Palácio que lhe servem, ainda que precariamente, de elemento de contenção, Witzel pode atuar sem freios. E seu despudor é assombroso", diz Reinaldo em seu blog no UOL. 

"Na tarde de sábado, nós o vimos embarcar num helicóptero da polícia que depois é flagrado despejando uma chuva de balas sobre comunidades necessariamente pobres de Angra dos Reis — ou havia mansões do outro lado do cano? Na sequência, o governador se hospedou com a família no hotel Fasano da cidade, considerado de altíssimo luxo. Passou lá o fim de semana. A diária mais barata sai a R$ 1.600. Por pessoa. A assessoria do governo não quis dizer quem pagou. Um fim de semana e tanto para a sua visão de mundo e a de seus admiradores, não é? Depois de participar de uma operação que despejou uma saraivada contra áreas em que moram pobres, o governador foi curtir um pouco a vida entre os ricos", critica o jornalista. 

O jornalista aponta suposta ligação de Witzel com milicianos e questiona o que vai fazer o Ministério Público Estadual do Rio vai fazer sobre a operação em Angra dos Reis. "O Ministério Público do Rio vai acordar para o morticínio da carne preta e pobre que se está a promover no Estado? E, com efeito, caras e caros, convém que fiquemos atentos ao número de pessoas mortas no Brasil inteiro. Quando um governador de Estado faz o que fez Witzel, é sinal de que se considera que está dada a licença para matar — como, de resto, propõe Sérgio Moro, o queridinho de jornalistas que ainda dizem se preocupar com direitos humanos e com o combate à corrupção — em seu pacote anticrime", diz ele. 

Leia o texto na íntegra

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247