Requião ironiza golpistas tangidos pela Globo

Senador paranaense acionou sua metralhadora giratória por meio do microblog Twitter (@requiaopmdb) para ridicularizar a turba alienada que grita contra o governo Dilma Rousseff (PT); para o peemedebista, os que defendem o impeachment sem que crime tenha sido cometido, como é o caso, são mera massa de manobra da mídia familiar no Brasil; ex-governador do Paraná mirou sua artilharia também para seu partido, o PMDB, que discute se desembarca da base de apoio do governo federal; Requião questiona se os “heróicos e valorosos, aguerridos e corajosos peemedebistas irão romper com Dilma e lançar o Eduardo Cunha para a Presidência?"

Brasil, Bras�lia, DF. 10/06/2010. O ex-governador do Paran� Roberto Requi�o durante entrevista coletiva realizada na Presid�ncia do PMDB, no Congresso Nacional, em Bras�lia. - Cr�dito:PABLO VALADARES/AG�NCIA ESTADO/AE/C�digo imagem:72842
Brasil, Bras�lia, DF. 10/06/2010. O ex-governador do Paran� Roberto Requi�o durante entrevista coletiva realizada na Presid�ncia do PMDB, no Congresso Nacional, em Bras�lia. - Cr�dito:PABLO VALADARES/AG�NCIA ESTADO/AE/C�digo imagem:72842 (Foto: Realle Palazzo-Martini)

247 - O senador Roberto Requião (PMDB-PR) soltou sua metralhadora giratória por meio do microblog Twitter (@requiaopmdb) para ridicularizar a turba alienada que grita contra o governo Dilma Rousseff (PT). Para o peemedebista, os que defendem o impeachment sem que crime tenha sido cometido, como é o caso, são mera massa de manobra da mídia familiar no Brasil.

“Esta briga de derrubar ou não o governo é ridícula. Nada tem a ver com soberania, democracia e nacionalismo. Palhaços conduzidos pela Globo”, tuitou o senador paranaense. Requião esclareceu, ainda no Twitter, que, na visão dele, impeachment não é golpe. “Golpe é impeachment sem crime de responsabilidade”, atirou.

O ex-governador do Paraná mirou sua artilharia também para seu partido, o PMDB, que discute se desembarca da base de apoio do governo federal. Requião questiona: os “heróicos e valorosos, aguerridos e corajosos peemedebistas irão romper com Dilma e lançar o Eduardo Cunha para a Presidência?"

Requião ironiza o controle que o presidente da Câmara dos Deputados tem sobre o partido mesmo depois de ter mentido que não tinha conta na Suíça com cinco milhões de dólares oriundos de propina rebebida de fornecedoras na Petrobras, escândalo revelado pela Operação Lava Jato.

O senador ainda ridiculariza o apego do PMDB por cargos: “Cúpula do PMDB decidiu: sai do governo e dá prazo de três anos para filiados deixarem os cargos.”

Para Requião, se o PSDB sair do governo é porque de fato nunca esteve. São apenas ministros “representantes de grupos com elos via interesses empresariais.

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247