Roberto Justus culpa o Ibope por fracasso de programa

O empresário questionou o Ibope Em entrevista à Folha de S. Paulo, Roberto Justus disse que "Eu questiono um pouco esse negócio de Ibope. Dou um terreno no centro de Tóquio, que é o mais caro do mundo, pra quem me apresentar alguém que tenha o peoplemeter em casa", disse o empresário Roberto Justus, ao falar do fracasso de audiência do seu programa Aprendiz, na Band 

Roberto Justus culpa o Ibope por fracasso de programa
Roberto Justus culpa o Ibope por fracasso de programa
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O empresário Roberto Justus culpou o Ibope pelo fracasso de audiência do seu programa "Aprendiz", na Band. Conforme o jornalista Mauricio Stycer, nas primeiras nove semanas, o programa registrou média de 0,8 ponto no Painel Nacional de Televisão (PNT), que mede a audiência de 15 grandes centros urbanos. Isso significa cerca de 200 mil domicílios, ou 555 mil pessoas, assistindo ao "Aprendiz", de Porto Alegre a Manaus. passando por São Paulo, Belo Horizonte e Rio, entre outros.

"Diante da expectativa e dos investimentos feitos, este resultado, sem eufemismos, só pode ser classificado como um grande fracasso", diz Stycer. 

Em entrevista à Folha de S. Paulo, Roberto Justus disse que questiona "um pouco esse negócio de Ibope". "Dou um terreno no centro de Tóquio, que é o mais caro do mundo, pra quem me apresentar alguém que tenha o peoplemeter em casa [aparelho da Kantar Ibope que mede audiência na TV]. Eu nunca conheci. 'Ah, mas, por contrato, eles [domicílios escolhidos] não podem falar'. Mas você descobriria, né? Não estou dizendo que o Ibope é furado. Nem quero deixar polêmica. Só falo que não corresponde à repercussão que 'O Aprendiz' tem. As pessoas estão vendo, comentando. É tão forte na rede social que é quase impossível imaginar que ele só tenha isso de audiência", disse ele. 

Na mesma entrevista o empresário da Publicidade fez um ataque rasteiro e misógino à ex-presidente Dilma Rousseff, dizendo que não contrataria Dilma "nem para ser faxineira" (leia mais no Brasil 247).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247