Sakamoto: Bretas e Cristiane parecem não se importar em dar exemplos à sociedade

Após a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) desqualificar trabalhadores, em vídeo, e o juiz Marcelo Bretas defender o seu auxílio-moradia e o da sua esposa, o jornalista Leonardo Sakamoto afirma que a parlamentar e o magistrado "sabem bem a posição privilegiada em que estão, mas parecem não se importar em dar exemplos à mesma sociedade que, com muito sacrifício, garante sua subsistência"

Após a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) desqualificar trabalhadores, em vídeo, e o juiz Marcelo Bretas defender o seu auxílio-moradia e o da sua esposa, o jornalista Leonardo Sakamoto afirma que a parlamentar e o magistrado "sabem bem a posição privilegiada em que estão, mas parecem não se importar em dar exemplos à mesma sociedade que, com muito sacrifício, garante sua subsistência"
Após a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) desqualificar trabalhadores, em vídeo, e o juiz Marcelo Bretas defender o seu auxílio-moradia e o da sua esposa, o jornalista Leonardo Sakamoto afirma que a parlamentar e o magistrado "sabem bem a posição privilegiada em que estão, mas parecem não se importar em dar exemplos à mesma sociedade que, com muito sacrifício, garante sua subsistência" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Após a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) desqualificar trabalhadores, em vídeo, e o juiz Marcelo Bretas defender o seu auxílio-moradia e o da sua esposa, o jornalista Leonardo Sakamoto afirma que a parlamentar e o magistrado "sabem bem a posição privilegiada em que estão, mas parecem não se importar em dar exemplos à mesma sociedade que, com muito sacrifício, garante sua subsistência".

"O comportamento de agentes públicos do nível de ambos não deveria ser limitado apenas àquilo que a lei afirma, mas ir além. Mesmo que uma interpretação da lei permita dobrar o auxílio-moradia. Mesmo que o desrespeito aos direitos trabalhistas não leve ninguém para a cadeia", acrescentou.

A deputada disse que ''todo mundo tem direito de pedir qualquer coisa na Justiça. Todo mundo pode pedir qualquer coisa abstrata. O negócio é o seguinte: quem é que tem direito?". Por sua vez, o juiz Marcelo Bretas, que julga os processos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, defendeu o direito a acumular o recebimento de auxílio-moradia com a esposa, também juíza Simone Bretas. "Pois é, tenho esse 'estranho' hábito. Sempre que penso ter direito a algo eu VOU À JUSTIÇA e peço. Talvez devesse ficar chorando num canto, ou pegar escondido ou à força. Mas, como tenho medo de merecer algum castigo, peço na Justiça o meu direito", disse Bretas

Ao comentar sobre a declaração do juiz, o jornalista diz que "a questão principal aqui não deveria ser ele ter direito ou não a reivindicar o benefício. Mas sim se um casal de juízes deve pleitear auxílio-moradia dobrado em um país com um gritante déficit habitacional, tanto quantitativo quanto qualitativo. Onde milhares de pessoas dormem na rua por falta de dinheiro para alugar um quarto e outras tantas levam bomba e borrachada da polícia para que desocupem prédios e terrenos que antes serviam de moradia para a especulação imobiliária".

Sobre Cristiane, Sakamoto afirma que, "por mais que eu concorde com o argumento do governo, de que condenações trabalhistas não são base legal suficiente para bloquear a indicação de Cristiane Brasil, há um lapso de ética em uma ministra do Trabalho ter sido condenada por negar o básico aos seus empregados que deveria ter sido considerado pelo Palácio do Planalto". "E, pelas declarações no vídeo, não parece haver sinal algum de reflexão da parte dela sobre os erros que cometeu. O que poderia mostrar sua capacidade de mediar os conflitos e processos entre governos, empregadores e trabalhadores".

Leia mais no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247