Sakamoto sobre visitas a Lula: regulamentos internos não podem se sobrepor à lei

"No caso do ex-presidente Lula, o dia de visitas de familiares tem sido às quintas-feiras. Há uma série de condicionantes que variam de local para local, mas os regulamentos internos não podem se sobrepor ao que está previsto em lei", escreve o jornalista Leonardo Sakamoto; segundo ele, a visita "não é algo que caiba a um juiz negar, mas buscar formas para o seu cumprimento, por estar previsto da Lei de Execução Penal"

"No caso do ex-presidente Lula, o dia de visitas de familiares tem sido às quintas-feiras. Há uma série de condicionantes que variam de local para local, mas os regulamentos internos não podem se sobrepor ao que está previsto em lei", escreve o jornalista Leonardo Sakamoto; segundo ele, a visita "não é algo que caiba a um juiz negar, mas buscar formas para o seu cumprimento, por estar previsto da Lei de Execução Penal"
"No caso do ex-presidente Lula, o dia de visitas de familiares tem sido às quintas-feiras. Há uma série de condicionantes que variam de local para local, mas os regulamentos internos não podem se sobrepor ao que está previsto em lei", escreve o jornalista Leonardo Sakamoto; segundo ele, a visita "não é algo que caiba a um juiz negar, mas buscar formas para o seu cumprimento, por estar previsto da Lei de Execução Penal" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - "Amigos podem visitar um preso em dias determinados. Ou seja, não é algo que caiba a um juiz negar, mas buscar formas para o seu cumprimento, por estar previsto da Lei de Execução Penal. Da mesma forma, não adianta algum amigo aparecer na porta e pedir para entrar sem autorização, mesmo que tenha ganho um Nobel, que isso não está previsto em lei e não vai acontecer", diz o jornalista Leonardo Sakamoto.

"No caso do ex-presidente Lula, o dia de visitas de familiares tem sido às quintas-feiras. Há uma série de condicionantes que variam de local para local, mas os regulamentos internos não podem se sobrepor ao que está previsto em lei".

Segundo o jornalista, "caso o lugar de cumprimento da pena não esteja preparado para tanto, ele deve ser adaptado ou o preso transferido. Desconfio, contudo, que o Estado brasileiro tem pesadelos com a hipótese de Lula ser colocado em um local com menos garantias para sua segurança e ser ferido".

"Como me disse um taxista, nesta terça: ''Detesto o Lula, mas por que só o homem tá preso? E sem poder ser visitado pelos amigos. E o Aécio continua aí, soltinho. Daí, é sacanagem'. Fica difícil retrucar", afirma o blogueiro.

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247