Sakamoto: Temer comete ato suicida e dificulta vida dos idosos mais pobres

"De acordo com Alberto Beltrame, secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, em matéria de Laís Alegretti e Natália Cancian, da Folha de S.Paulo desta quarta (24), caso consiga aprovar a Reforma da Previdência, a intenção do governo é elevar de 65 para 'em torno de 68 anos'' essa idade", diz o jornalista Leonardo Sakamoto no texto intitulado "Em ato suicida, governo Temer admite dificultar a vida de idosos pobres"; "Vai ficar difícil para os eleitores entenderem (e os deputados-candidatos explicarem) como aumentar em três anos a barreira de acesso de idosos pobres a um salário mínimo significa cortar privilégios", diz

"De acordo com Alberto Beltrame, secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, em matéria de Laís Alegretti e Natália Cancian, da Folha de S.Paulo desta quarta (24), caso consiga aprovar a Reforma da Previdência, a intenção do governo é elevar de 65 para 'em torno de 68 anos'' essa idade", diz o jornalista Leonardo Sakamoto no texto intitulado "Em ato suicida, governo Temer admite dificultar a vida de idosos pobres"; "Vai ficar difícil para os eleitores entenderem (e os deputados-candidatos explicarem) como aumentar em três anos a barreira de acesso de idosos pobres a um salário mínimo significa cortar privilégios", diz
"De acordo com Alberto Beltrame, secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, em matéria de Laís Alegretti e Natália Cancian, da Folha de S.Paulo desta quarta (24), caso consiga aprovar a Reforma da Previdência, a intenção do governo é elevar de 65 para 'em torno de 68 anos'' essa idade", diz o jornalista Leonardo Sakamoto no texto intitulado "Em ato suicida, governo Temer admite dificultar a vida de idosos pobres"; "Vai ficar difícil para os eleitores entenderem (e os deputados-candidatos explicarem) como aumentar em três anos a barreira de acesso de idosos pobres a um salário mínimo significa cortar privilégios", diz (Foto: Leonardo Lucena)

247 - "O governo federal quer ressuscitar a proposta de aumento da idade mínima para que idosos pobres tenham acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) – aquele salário mínimo concedido como assistência social a quem não conseguiu se aposentar", escreve o jornalista Leonardo Sakamoto, no texto intitulado "Em ato suicida, governo Temer admite dificultar a vida de idosos pobres".

"De acordo com Alberto Beltrame, secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, em matéria de Laís Alegretti e Natália Cancian, da Folha de S.Paulo desta quarta (24), caso consiga aprovar a Reforma da Previdência, a intenção do governo é elevar de 65 para 'em torno de 68 anos'' essa idade. A justificativa é de que manter o patamar atual pode desestimular a contribuição ao INSS", continua.

Segundo o blogueiro, "vai ficar difícil para os eleitores entenderem (e os deputados-candidatos explicarem) como aumentar em três anos a barreira de acesso de idosos pobres a um salário mínimo significa cortar privilégios".

"Não apenas isso. Em conjunto com outras reformas realizadas pelo governo, essa mudança pode causar um impacto negativo na qualidade de vida da população mais pobre", diz. "Se subir a idade de acesso ao BPC, o governo empurrará os idosos pobres para continuarem se virando até chegar a 68 anos".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247