Temer ignorou pedidos da PF para dar explicações em caso de propina no Porto de Santos

"Em 2009, ao presidir a Câmara dos Deputados, Michel Temer deixou sem resposta três convites da Polícia Federal que lhe abriam a chance de refutar as acusações de receber propinas de empresas que atuavam no Porto de Santos", escreve o jornalista Marcelo Auler, no Diario do Centro do Mundo

"Em 2009, ao presidir a Câmara dos Deputados, Michel Temer deixou sem resposta três convites da Polícia Federal que lhe abriam a chance de refutar as acusações de receber propinas de empresas que atuavam no Porto de Santos", escreve o jornalista Marcelo Auler, no Diario do Centro do Mundo
"Em 2009, ao presidir a Câmara dos Deputados, Michel Temer deixou sem resposta três convites da Polícia Federal que lhe abriam a chance de refutar as acusações de receber propinas de empresas que atuavam no Porto de Santos", escreve o jornalista Marcelo Auler, no Diario do Centro do Mundo (Foto: Leonardo Lucena)

247 - "Em 2009, ao presidir a Câmara dos Deputados, Michel Temer deixou sem resposta três convites da Polícia Federal que lhe abriam a chance de refutar as acusações de receber propinas de empresas que atuavam no Porto de Santos", escreve o jornalista Marcelo Auler, no Diário do Centro do Mundo.

"Ao desprezá-los, ele não só ajudou a manter viva a suspeita de se beneficiar do esquema fraudulento, como decepcionou um antigo aluno e grande admirador: o delegado federal Cássio Luiz Guimarães Nogueira", continua.

Segundo o jornalista, "Nogueira, lotado na delegacia da Polícia Federal em Santos, foi quem presidiu, a partir de 2008, o Inquérito Policial nº 5.104, instaurado em 2006. Este lhe caiu nas mãos por acaso, junto com outros, quando voltou a presidir investigações. Tratava de possíveis fraudes à lei de licitações e também lavagem de dinheiro, envolvendo a Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP)";

"Eram fatos que, pessoalmente, o delegado desconhecia, embora até já tivessem aparecido em páginas de revistas e jornais. Seria mais um entre os muitos inquéritos que teria que tocar, não fosse um detalhe a lhe chamar a atenção: o envolvimento de seu ex-professor Michel Temer".

Leia a íntegra no DCM

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247