Tijolaço: temendo fim da Lava Jato, delegados querem tirar diretor da PF

Jornalista Fernando Brito diz que agora caiu a ficha dentro na Polícia Federal de que o governo de Michel Temer está agindo para de fato "estancar a sangria" da operação Lava Jato; "A PF pode chorar quantas lágrimas quiser. A demora da escolha do ministro da Justiça deve-se a encontrar alguém com a disposição (para isso há muitos) e os meios (para isto, poucos) de transformar a Lava Jato, como disse hoje José Roberto de Toledo, em esguicho", diz Brito; "Polícia Federal e, não duvidem, Ministério Público vão voltar à condição que tinham até o Governo FHC. Manda quem pode, obedece quem tem juízo"

SP - OPERA«√O LAVA JATO - GERAL - MovimentaÁ„o na SuperintendÍncia da PolÌcia Federal no bairro da Lapa, Zona Oeste de S„o Paulo, SP, nesta sexta-feira (14). A PolÌcia Federal (PF) deflagra a sÈtima fase da OperaÁ„o Lava Jato, cumprindo mandados de pris„o
SP - OPERA«√O LAVA JATO - GERAL - MovimentaÁ„o na SuperintendÍncia da PolÌcia Federal no bairro da Lapa, Zona Oeste de S„o Paulo, SP, nesta sexta-feira (14). A PolÌcia Federal (PF) deflagra a sÈtima fase da OperaÁ„o Lava Jato, cumprindo mandados de pris„o (Foto: Aquiles Lins)

Por Fernando Brito, do Tijolaço - O Estadão anuncia hoje que um grupo de delegados federais quer tirar seu Leonardo Daiello do comando da Polícia Federal.

Policiais exigirem a saída de seu comando e ainda por cima indicar quem deve ocupa-lo, em outras palavras, é uma atitude semelhante a motim.

O delegado Daiello, que ocupava o posto dentro dos ingênuos critérios do "republicanismo" do Governo Dilma, foi quem montou a equipe policial – inclusive seu núcleo abertamente aecista – que trabalhou- e vazou seletivamente – as informações da lava Jato.

Se Daiello passou agora , como dizem os policiais, a afastar os policiais do caso, a razão deve ser procurada, óbvio, não nele, mas no que mudou acima dele.

O presidente da associação dos delegados federais, Carlos Eduardo Sobral, diz que ""há um sentimento na corporação de que a Lava Jato está chegando ao fim".

Será que não ocorre ao Dr. Sobral a razão disso?

Será que não lhe passa pela cabeça que enquanto tivemos uma presidente honesta – embora crédula demais no profissionalismo da instituição – a PF teve toda a liberdade e apoio para trabalhar?

A PF pode chorar quantas lágrimas quiser. A demora da escolha do ministro da Justiça deve-se a encontrar alguém com a disposição (para isso há muitos) e os meios (para isto, poucos) de transformar a Lava Jato, como disse hoje José Roberto de Toledo, em esguicho."

Será que a nossa "Federal", tão bem informada sobre tudo, achou que um governo onde pululam propineiros ia deixar que a sangria não fosse estancada?

Nada, a disputa aí é de poder corporativo, podem escrever.

Polícia Federal e, não duvidem, Ministério Público vão voltar à condição que tinham até o Governo FHC. Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247