Veja dedica capa a um ex-juiz suspeito, que destruiu milhões de empregos, e confirma não ter compromisso com o Brasil

Revista ligada ao grupo BTG Pactual naturaliza a candidatura de um ex-juiz declarado suspeito pela suprema corte e que tornou o Brasil um país muito mais pobre

www.brasil247.com - Capa da revista Veja e Sergio Moro
Capa da revista Veja e Sergio Moro (Foto: Reprodução/Facebook)


247 - A revista Veja que começa a ser distribuída nesta sexta-feira (14) traz como destaque de capa uma entrevista com o ex-juiz Sergio Moro (Podemos), declarado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) parcial e suspeito nos processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A publicação tenta naturalizar a candidatura presidencial do responsável pela destruição de milhões postos de trabalho no Brasil através da Lava Jato. Segundo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), a Lava Jato destruiu 4,4 milhões de empregos e custou 3,6% do PIB.

Na entrevista, Moro esquece que ele próprio foi condenado pelo STF e ataca o ex-presidente Lula - que lidera todas as pesquisas de intenção de voto para o pleito de outubro - ao afirmar que o retorno do petista ao poder “seria um acinte, um tapa na cara de todos os brasileiros”. Ainda segundo ele, “o PT tem a mesma vocação autoritária do bolsonarismo e vai tentar manietar as instituições”. 

Moro, que integrou o primeiro escalão do atual governo como ministro da Justiça por mais de um ano, também afirma que Jair Bolsonaro é “mentiroso, enganador, irracional e inconfiável”, além de “populista”, e que ele nunca teve o interesse de combater a corrupção. “Queria apenas se blindar, ficar longe do alcance da Justiça. Ele me disse que eu tinha que sair do governo porque não aceitava protegê-lo de investigações”, disse. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

  Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email