Youssef entrega agentes que o grampearam: são da Lava Jato

Em um depoimento de 16 páginas, o doleiro Alberto Youssef revelou que o agente Dalmey Werlang teria assumido a autoria da instalação do grampo clandestino na cela do doleiro; o agente ainda apontou os delegados Igor Romário, Márcio Anselmo e Rosalvo Franco, que atuavam na Lava-Jato, como os mandantes da ação clandestina

Youssef delata no caso do Rodoanel e esquenta clima da Lava Jato em São Paulo
Youssef delata no caso do Rodoanel e esquenta clima da Lava Jato em São Paulo (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

247 - Em um depoimento de 16 páginas, o doleiro Alberto Youssef revelou que o agente Dalmey Werlang teria assumido a autoria da instalação do grampo clandestino na cela do doleiro. O agente ainda apontou os delegados Igor Romário, Márcio Anselmo e Rosalvo Franco, que atuavam na Lava-Jato, como os mandantes da ação clandestina.

A reportagem da revista Veja destaca que "a PF também revela nas perguntas que a primeira sindicância realizada para investigar a colocação do grampo na cela do doleiro foi forjada para não apontar que a escuta estava ativa.

Youssef disse: "tinha certeza que a escuta foi colocada lá e que estava ativa, mas não teve acesso a gravações nem conhecimento do resultado da sindicância. Tinha certeza que a primeira sindicância foi feita ‘para inglês ver’."

A matéria ainda acrescenta que "o doleiro foi questionado se tinha conhecimento de que a escuta instalada na cela era clandestina. Youssef diz que um de seus advogados foi até o então juiz Sergio Moro para confirmar se o aparelho havia sido instalado com autorização judicial e que Moro negou a ordem."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247