Agrava-se disputa entre Coreia do Sul e Japão

As Forças Armadas da Coreia do Sul iniciaram neste domingo (25) dois exercícios militares perto das rochas de Liancourt, no Mar do Japão, um grupo de ilhotas chamadas Dokdo pelos coreanos e Takeshima pelos japoneses, e que são objeto de uma disputa entre os ambos os países

Japão e Coreia do Sul, ilhas em disputa
Japão e Coreia do Sul, ilhas em disputa (Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - As Forças Armadas da Coreia do Sul iniciaram neste domingo (25) dois exercícios militares perto das rochas de Liancourt, no Mar do Japão, um grupo de ilhotas chamadas Dokdo pelos coreanos e Takeshima pelos japoneses, e que são objeto de uma disputa entre os ambos os países. 

De acordo com a agência sul-coreana de notícias Yonhap,  participam dos exercícios militares as forças navais, aéreas e do Exército, bem como as tropas do Corpo de Fuzileiros Navais.   

As ilhotas são atualmente controladas pela Coréia do Sul, mas reivindicadas pelo Japão, que as controlou de 1910 até sua derrota na Segunda Guerra Mundial, em 1945.  

Esses "jogos" de guerra são geralmente realizados duas vezes por ano, em junho e dezembro. Mas este ano eles avançaram eme em meio a uma crescente disputa comercial enre a Coreia do Sul e o Japão.  O Ministério das Relações Exteriores do Japão classificou os exercícios militares como inaceitáveis ​​e disse que entrou com um protesto contra a Coréia do Sul, informou a Reuters.   

As ilhas são "obviamente parte inerente do território do Japão", disse Kenji Kanasugi, diretor-geral do Escritório de Assuntos da Ásia e Oceania do ministério, em um comunicado.  

As relações entre as duas nações asiáticas começaram a piorar no final do ano passado, depois que a Suprema Corte da Coreia do Sul emitiu uma ordem que forçou as empresas japonesas a compensarem alguns de seus trabalhadores forçados em tempos de guerra. Tóquio condenou a decisão, observando que a disputa foi resolvida por um tratado de 1965.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email