Alegações da NASA sobre destroços espaciais chineses são contestadas

Observadores da indústria espacial asseguraram que queda de destroços do Long March 5B seguiram protocolos internacionais

www.brasil247.com -
(Foto: China Daily via Reuters)


Leonardo Sobreira, de Guangzhou (247) - Observadores da indústria espacial rebateram acusações levantadas pelo administrador da NASA, Bill Nelson, de que destroços provenientes do foguete Long March 5B teriam colocado em risco a segurança de pessoas na Terra.

O Long March 5B foi lançado no dia 24 de julho da base de Wenchang, província de Hainan. Ele continha o módulo laboratorial Wentian, acoplado com sucesso ao módulo central Tianhe da estação espacial Tiangong na segunda-feira, 1, em uma conquista histórica para o programa espacial chinês.

Desde o lançamento, veículos de imprensa ocidentais divulgaram que destroços do foguete chinês cairiam desgovernadamente, podendo inclusive atingir áreas populadas em diversos países. A maior parte dos pedaços acabou queimando na atmosfera, com alguns caindo sobre os oceanos Índico e Pacífico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na esteira das versões replicadas pela imprensa ocidental, Nelson publicou uma nota no site da NASA alegando que a China "não compartilhou informações sobre a trajetória específica enquanto seu foguete Long March 5B caia sobre a Terra". Ele também fez comentários sobre o "uso responsável do espaço" e "garantir a segurança das pessoas aqui na Terra".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Yang Yuguang, vice-presidente do comitê de transporte espacial da Federação Internacional de Astronáutica, disse que as alegações de Nelson são infundadas e visam causar agitação contra o programa espacial da China. O observador da indústria espacial destacou que pelo menos 90% do Long March 5B era feito de um invólucro de metal fino e inflamável, que queimou na reentrada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O número de componentes que podem suportar a pressão atmosférica e acabar na Terra é quase igual a qualquer outro tipo de foguete, assegura Yang.

Wu Peixin, um observador da indústria aeroespacial, disse que os Estados Unidos devem ser capazes de calcular a hora e a localização aproximada da reentrada na Terra do Long March 5B, uma vez que a China divulgou dados detalhados sobre esse foguete muitas vezes antes dele reentrar na atmosfera em ocasiões passadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Antes de retornar à Terra às 12h55 de domingo, a China postava uma atualização diária dos dados de órbita do foguete desde 27 de julho no site da Agência Espacial para os Voos Tripulados. (Com People's Daily).

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email