Amorim: Há contradições em novas diretrizes do Itamaraty

Ex-ministro das Relações Exteriores no governo Lula e da Defesa no governo Dilma, Celso Amorim afirma que, pela necessidade de obter recursos a curto prazo, Brasil pode ser levado a opções erradas na política externa com José Serra 

Ex-ministro das Relações Exteriores no governo Lula e da Defesa no governo Dilma, Celso Amorim afirma que, pela necessidade de obter recursos a curto prazo, Brasil pode ser levado a opções erradas na política externa com José Serra 
Ex-ministro das Relações Exteriores no governo Lula e da Defesa no governo Dilma, Celso Amorim afirma que, pela necessidade de obter recursos a curto prazo, Brasil pode ser levado a opções erradas na política externa com José Serra  (Foto: Roberta Namour)

247 – O ex-ministro das Relações Exteriores no governo Lula e da Defesa no governo Dilma, Celso Amorim, vê contradições da política externa de José Serra para os vizinhos sul-americanos, Mercosul e África:

“Na verdade, isso tudo se baseou também em falta de conhecimento, em comprar com facilidade versões que, na realidade, não se baseavam na realidade. Pela necessidade de obter recursos a curto prazo, eu acho que o Brasil passará por um processo, caso este governo se mantenha, de privatizações muito rápidas, e isso acabará levando a opções erradas também na política externa”.

Ele afirma ainda que Serra poderia ter sido mais “diplomático” nas críticas feitas ao processo de impeachment por governos bolivarianistas: “Do ponto de vista estritamente formal, os procedimentos legais de acordo com os estipulados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) foram seguidos. Agora, é o conteúdo que retira a legitimidade desse processo”, diz (leia aqui).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247