Anistia Internacional: saída dos EUA do Tratado Internacional de Comércio de Armas ajuda terroristas

O plano do presidente dos EUA, Donald Trump, de se retirar do Tratado Internacional de Comércio de Armas ajuda terroristas e promoverá conflitos em partes distantes do globo, alertou a Anistia Internacional nesta sexta-feira (26)

Anistia Internacional: saída dos EUA do Tratado Internacional de Comércio de Armas ajuda terroristas
Anistia Internacional: saída dos EUA do Tratado Internacional de Comércio de Armas ajuda terroristas (Foto: © Sputnik / MORAD SAEED)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik BrasilO plano do presidente dos EUA, Donald Trump, de se retirar do Tratado Internacional de Comércio de Armas ajuda terroristas e promoverá conflitos em partes distantes do globo, alertou a Anistia Internacional nesta sexta-feira (26).

"O tratado exige que os governos avaliem o risco de violações da lei internacional humanitária e de direitos humanos antes de autorizar um acordo de armas para evitar que armas sejam usadas irresponsavelmente em conflitos brutais, por crime organizado ou terroristas", diz o texto divulgado pela organização internacional.

Trump anunciou nesta sexta-feira que os Estados Unidos se retirariam do Tratado Internacional de Comércio de Armas, do qual o país é um dos 130 signatários desde 2013. O documento foi assinado pelo presidente Barack Obama (2009-2017), mas o Congresso nunca ratificou o acordo.
A decisão do presidente dos Estados Unidos provavelmente "reabrirá as portas para a venda de armas com critérios de direitos humanos enfraquecidos, o que poderia alimentar conflitos brutais e resultar em menos segurança para todos", alertou a Anistia Internacional.

O tratado, que entrou em vigor em dezembro de 2014, "regula o comércio internacional de armas convencionais, desde armas pequenas até tanques de guerra, aviões de combate e navios de guerra", segundo o documento das Nações Unidas.

O tratado será aberto para modificações no próximo ano e algumas das alterações que podem ser introduzidas não podem ser apoiadas pelos Estados Unidos, de acordo com um comunicado da Casa Branca.

"O Acordo sobre Comércio de Armas não aborda o problema das transferências irresponsáveis ​​de armas, mas fornece uma plataforma para aqueles que buscam limitar nossa capacidade de vender armas para nossos aliados", disse a Casa Branca. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247