Após Irã abandonar acordo nuclear, Trump vai às redes sociais e diz que Teerã jamais terá uma arma atômica

"O ​Irã nunca terá uma arma nuclear", disse Donald Trump, em seu twitter, um dia depois de o governo iraniano anunciar que não irá mais respeitar os limites para enriquecimento de urânio; discurso de Trump, que assassinou o general iraniano Qasem Soleimani, está alinhado com o de Israel, que teme que o Irã desenvolva uma bomba atômia

Trump ordenou assassinato de militares iranianos e iraquianos
Trump ordenou assassinato de militares iranianos e iraquianos (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputinik – No domingo (5), o Irã anunciou que se retiraria do acordo nuclear de 2015 em meio ao aumento das tensões com Washington após o assassinato do general iraniano Soleimani.

O presidente norte-americano declarou em seu Twitter que o país persa jamais ganhará permissão de ter acesso a armas nucleares.

O ​Irã nunca terá uma arma nuclear!

Donald Trump publicou o comentário após o anúncio no domingo (5) de que Teerã continuaria reduzindo seus compromissos com o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), assinado em 2015, e continuaria enriquecendo urânio, baseando-se nas necessidades da indústria nuclear iraniana.

O Irã também enfatizou que continuaria cooperando com a Agência internacional de Energia Atômica (IAEA, na sigla em inglês), e indicou que estaria pronto para retomar suas obrigações se as sanções contra o país forem retiradas.

Os signatários europeus do tratado expressaram receio pela decisão de Teerã. Alemanha, França e Reino Unido pediram que o país evitasse ações que "não cumpram com o acordo nuclear", enquanto Rússia, outro país signatário do tratado, também se manifestou nesta segunda-feira (6).

Em um comunicado, o Ministério das Reações Exteriores da Rússia indicou que a decisão do Irã não representa uma ameaça para a proliferação de armas nucleares, pois o Irã mantém contato com a IAEA.

Autoridades iranianas repetidamente afirmam que não há nenhum interesse de possuir armas nucleares, ou armas de destruição em massa de qualquer tipo, uma vez que elas vão contra a fé islâmica do país. O Irã destruiu seu estoque de armas químicas em 1997, conforme a Convenção sobre as Armas Químicas, solicitando inúmeras vezes aos EUA que fizessem o mesmo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247