Argentina abre processo contra Cristina Kirchner, mas deixa de fora parentes de Macri

O juiz federal argentino Claudio Bonadio abriu processo contra políticos e empresários do país com base nos chamados "cadernos da corrupção", fornecidos por um ex-motorista do Ministério do Planejamento; mas, diferentemente da ação contra Cristina, ele não abriu procedimento algum contra Gianfranco e Franco Macri, irmão e pai do presidente Mauricio Macri, que também são citados nos documentos

Argentina abre processo contra Cristina Kirchner, mas deixa de fora parentes de Macri
Argentina abre processo contra Cristina Kirchner, mas deixa de fora parentes de Macri (Foto: REUTERS/Martin Acosta)

247 - O juiz federal argentino Claudio Bonadio abriu processo contra políticos e empresários do país com base nos chamados "cadernos da corrupção", fornecidos por um ex-motorista do Ministério do Planejamento. Bonadio pediu que o foro privilegiado da senadora e ex-presidente Cristina Kirchner fosse retirado e que ela fosse presa preventivamente. Mas, diferentemente da ação contra Cristina, ele não abriu procedimento algum contra Gianfranco e Franco Macri, irmão e pai do presidente Mauricio Macri, que também são citados nos "cadernos da corrupção".

Os documentos fornecidos pelo ex-motorista trazem informações sobre supostas entregas de dinheiro a políticos para que empresas fossem favorecidas em contratos de obras públicas. Sob pressão, diversos empresários prestaram depoimentos e alguns chegaram a fazer acordos de delação.

A ação contra Cristina, porém, é vista como uma forma de barrar a sua possível candidatura à Presidência da Argentina em 2019. Ela é acusada de chefiar um esquema de corrupção e de comandar a estrutura de arrecadação da propina junto aos empresários. Ela também responde a outros sete processos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247