Assad agradece bombardeios aéreos de Putin

“O terrorismo, que atualmente se espalhou pela região, teria tomado áreas muito maiores e territórios muito maiores não fossem as suas ações”, disse o líder sírio, dirigindo-se a Putin; “Estamos preparados para dar a nossa contribuição, não apenas durante as hostilidades armadas na luta contra o terrorismo, como também durante um processo político”, disse, por sua vez, o presidente russo

Presidente da Síria, Bashar Al-Assad, e presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante encontro em Moscou. 21/10/2015 REUTERS/Alexei Druzhinin/RIA Novosti/Kremlin
Presidente da Síria, Bashar Al-Assad, e presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante encontro em Moscou. 21/10/2015 REUTERS/Alexei Druzhinin/RIA Novosti/Kremlin (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa

Os presidentes russo, Vladimir Putin, e sírio, Bashar Al Assad, disseram hoje (21) que as operações militares na Síria estão permitindo conter o terrorismo e devem ser seguidas de um processo político. A afirmação foi feita durante visita-surpresa de Assad a Moscou.

“Estamos preparados para dar a nossa contribuição, não apenas durante as hostilidades armadas na luta contra o terrorismo, como também durante um processo político”, disse Putin a Assad, segundo comunicado da Presidência da Rússia.

Nas declarações que fez à imprensa, Bashar Al Assad destacou a importância da campanha de bombardeios aéreos russos que, segundo ele, tem permitido conter o terrorismo no país.

“O terrorismo, que atualmente se espalhou pela região, teria tomado áreas muito maiores e territórios muito maiores não fossem as suas ações”, disse o líder sírio, dirigindo-se a Putin.

Assad, citado por veículos de comunicação árabes, afirmou que “o terrorismo é o obstáculo a uma solução política na Síria”. Para ele, os bombardeios vão permitir erradicar o terrorismo que impede uma saída política”.

De acordo com a agência estatal síria Sana, Putin assegurou a Assad a disposição de continuar a apoiar política e militarmente a Síria e avaliar com outras potências internacionais uma solução política para a guerra.

A visita de Assad a Moscou é a primeira que faz ao exterior desde o início do conflito, em março de 2011.

A Rússia lançou em 30 de setembro uma campanha de bombardeios aéreos na Síria, com o objetivo de combater os jihadistas do Estado Islâmico,. Os Estados Unidos e seus aliados, no entanto, criticaram a entrada de Moscou no conflito, afirmando que o país está bombardeando grupos da oposição moderada apoiados pelo Ocidente, numa tentativa de reforçar a posição de Bashar Al Assad.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247