Ataques suicidas contra mesquitas deixam ao menos 72 mortos no Afeganistão

Pelo menos 72 pessoas morreram em um ataque a duas mesquitas na capital Cabul e na cidade de Ghor, no centro do país nesta sexta-feira (20); o Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado na capital, onde morreram 39 pessoas, incluindo crianças; além dos ataques desta sexta, aconteceram pelo menos dois ataques à mesquitas xiitas no Afeganistão em agosto e setembro de 2017 

Pelo menos 72 pessoas morreram em um ataque a duas mesquitas na capital Cabul e na cidade de Ghor, no centro do país nesta sexta-feira (20); o Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado na capital, onde morreram 39 pessoas, incluindo crianças; além dos ataques desta sexta, aconteceram pelo menos dois ataques à mesquitas xiitas no Afeganistão em agosto e setembro de 2017 
Pelo menos 72 pessoas morreram em um ataque a duas mesquitas na capital Cabul e na cidade de Ghor, no centro do país nesta sexta-feira (20); o Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado na capital, onde morreram 39 pessoas, incluindo crianças; além dos ataques desta sexta, aconteceram pelo menos dois ataques à mesquitas xiitas no Afeganistão em agosto e setembro de 2017  (Foto: Charles Nisz)

Reuters - Homens-bomba atacaram duas mesquitas no Afeganistão nesta sexta-feita, matando ao menos 72 pessoas, incluindo crianças, disseram autoridades e testemunhas.

Um suicida entrou em uma mesquita muçulmana xiita na capital Cabul enquanto as pessoas rezavam na noite de sexta-feira e detonou um explosivo, disse um dos fiéis, Mahmood Shah Husaini.

Pelo menos 39 pessoas morreram na explosão na mesquita Imam Zaman, no distrito Dasht-e-Barchi, disse o porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish. O Estado Islâmico assumiu responsabilidade pelo ataque.

Em outra ação, um homem-bomba matou 33 pessoas em uma mesquita na província central de Ghor, segundo um porta-voz policial.

A população xiita do Afeganistão tem sido atacada com frequência neste ano – ao menos 184 pessoas morreram e 194 ficaram feridas em ataques a mesquitas e durante cerimônias religiosas, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado na semana passada.

Entre eles estão ao menos dois ataques a mesquitas de Cabul em agosto e setembro.

 
 

 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Mundo

China rejeita lei dos EUA sobre Hong Kong

A China expressou nesta quarta-feira (16) indignação e rejeição à chamada Lei dos Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong 2019, apoiada no Congresso dos Estados Unidos, alertando que tomará...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247