Berlusconi desiste de candidatura a premiê na Itália

Objetivo é reconstruir aliança com extrema-direita; "Prefiro ser ministro da Economia", disse o empresário

Berlusconi desiste de candidatura a premiê na Itália
Berlusconi desiste de candidatura a premiê na Itália (Foto: STRINGER/ITALY)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Opera Mundi - O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi declarou nesta segunda-feira (07/01) ter fechado uma aliança com o maior partido de extrema-direita do país, a Liga Norte, para concorrer na próxima eleição legislativa no país, a ser realizada em fevereiro. O anúncio foi feito em uma entrevista à rádio RTL. Com esse acordo, o conservador PdL (Partido da Liberdade) e a Liga Norte voltam a formar o bloco político que comandou a Itália na quarta passagem do empresário no comando do governo italiano (2008-2011).

A diferença é que, desta vez, Berlusconi admite que, embora continue no comando da coalizão, não deverá ser novamente primeiro-ministro em caso de vitória eleitoral. "Depois de ter lutado na trincheira por tantos anos, prefiro ser ministro da Economia", afirmou. "O nome do primeiro-ministro só será decidido no caso de vitória". O nome mais provável da colaizão para o cargo, fora Berlusconi, seria de Angelino Alfano, secretário nacional do PdL, segundo a imprensa italiana, que também afirmou que o acordo só foi possível depois de Berlusconi ter aceitado ficar de fora do comando do governo.

"Habemus papam", disse Berlusconi ao anunciar a aliança – em referência à frase que ficou mundialmente famosa quando a Igreja Católica anuncia a nomeação de um novo sumo-pontífice.

PdL e Liga do Norte estiveram juntos até a renúncia de Berlusconi, em novembro de 2011. No entanto, o PdL apoiou o governo pluripartidário de Mario Monti até dezembro de 2012. Já a Liga Norte se negou a participar do governo por se opor às medidas de austeridade adotadas durante a última administração italiana. A Liga Norte tem forte influência em regiões industrializadas da Itália, como o Vêneto e a Lombardia, e defende que, no futuro, o norte rico se separe do sul italiano – seu nome original é "Liga pela Independência da Padânia".

Juntando as forças, a nova aliança PdL-Liga do Norte, que concorrerá à eleição legislativa italiana, que será disputada nos dias 24 e 25 de fevereiro, se tornaria, de acordo com as últimas pesquisas, a segunda força política do país, com cerca de 26 % das preferências dos entrevistados.

A coalizão "Itália, Bem Comum", liderada pelo social-democrata Pier Luigi Bersani, do Partido Democrático, de centro-esquerda, aparece como favorita nas pesquisas de opinião, com cerca de 40% das intenções de voto. Monti, que ainda não confirmou se será candidato, tem o apoio de legendas de direita, centro, liberais e reformistas. Sua coalizão informal, chamada "Agenda Monti para a Itália", soma 12% das preferências. O Movimento Cinco Estrelas, que se autointitula uma alternativa de centro-esquerda, liderado pelo comediante italiano, teria cerca de 16%.

Serão escolhidos 630 deputados e 315 senadores. Berlusconi liderou o governo italiano em três oportunidades (1994-1995, 2001-2006 e 2008-2011).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email