Biden anuncia revisão da posição dos EUA em relação a Cuba, mas insiste em discurso de "apoio à democracia e direitos humanos"

A revisão não significa apoio à autodeterminação da ilha, mas apenas uma suavização da postura da administração anterior

(Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A administração do democrata Joe Biden anunciou nesta quinta-feira (28) uma revisão das políticas dos Estados Unidos em relação a Cuba, após anos de hostilidades proferidas por Donald Trump. 

No entanto, o anúncio não significa nenhuma mudança radical, de verdadeiro apoio à autodeterminação da ilha, já que Biden repete o tradicional discurso de "apoio à democracia e direitos humanos".

"Nossa política relacionada a Cuba segue dois princípios. Primeiro, apoiar a democracia e os direitos humanos -que estará no centro de nossos esforços", afirmou a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, conforme reportado na Folha de S.Paulo. 

"Segundo, os americanos, em especial cubano-americanos, são os melhores embaixadores para liberdade em Cuba. Então vamos rever as políticas da administração de Trump", completou.

Nos seus últimos dias de mandato, Trump recolocou Cuba na lista de Estados patrocinadores do terrorismo. O republicano também impôs restrições a viajantes e exportações dos EUA a ilha. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email