Biden convoca nova Cúpula das Américas, mas não responde se Cuba, Venezuela e Nicarágua serão convidadas

Entre temas abordados estão transparência, corrupção, inclusão, equidade, sustentabilidade, “verde” o manejo “humanitário” da migração, a mudança climática

www.brasil247.com - Joe Biden
Joe Biden (Foto: Reprodução)


Em Diálogos do Sul, Opera Mundi - O lema da nova Cúpula das Américas, que se realizará em Los Angeles entre 6 e 10 de junho é “Construindo um futuro sustentável, resistente e equitativo” na qual o governo anfitrião de Joe Biden promoverá o combate à pandemia, uma recuperação “verde”, o manejo “integral” do fenômeno migratório e o consenso hemisférico sobre a democracia, informaram altos funcionários em Washington.

Esta será a nona cúpula, e a primeira desde a inaugural em Miami, em 1994, a realizar-se nos Estados Unidos. À anterior, em 2018, no Chile, o então presidente estadunidense Donald Trump não compareceu.

Ainda não está pronta a lista de convidados, mas altos funcionários indicaram em resposta se Cuba, Venezuela e Nicarágua estarão presentes, que só serão bem-vindos aqueles governos que “respeitam” os princípios democráticos, e que a lista final será elaborada em consulta com a Organização dos Estados Americanos (OEA).  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com um assombroso vocabulário que inclui “princípios democráticos”, transparência, corrupção, inclusão, equidade, sustentabilidade, “verde” e esforços “integrais” e “regionais” sobre o manejo “humanitário” da migração, a mudança climática, os direitos humanos, o respeito a grupos marginais, indígenas e mulheres, entre outros temas e conceitos, um par de altos funcionários do governo de Biden tentaram estabelecer o marco da agenda para a próxima cúpula.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sociedade civil e setor privado

Indicaram que não seria só um processo entre mandatários, mas também serão convocados a participar setores da sociedade civil e do setor privado.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Recordaram que Biden sempre outorgou prioridade às relações com o hemisfério desde seus tempos como senador e depois vice-presidente, e que seu governo tem se dedicado a superar os danos causados às relações com a região durante a presidência de Trump. 

Ressaltaram que serão retomadas iniciativas regionais e bilaterais tanto dentro da América do Norte (o Diálogo Econômico e o Diálogo de Segurança com o México e a Cúpula de Líderes da América do Norte, como exemplos) como com Centro e Sul-América sobre vários temas, desde segurança a migração, governança democrática e outros mais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um alto funcionário do governo de Biden enfatizou os esforços para alcançar resoluções negociadas em crises como a do Haiti e da Venezuela e em torno a Cuba, onde o presidente estadunidense disse que tomou uma postura “dura com o regime, suave com o povo cubano”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email