Boris Johnson provoca risadas na ONU ao falar sobre galinhas e mito grego

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, mergulhado em profunda crise política, evitou falar em Brexit e resolveu discursar na ONU referindo-se a galinhas e mito grego

(Foto: REUTERS/Hannah McKay)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, não quis falar sobre Brexit durante seu discurso na Assembleia Geral da ONU ontem. O único momento em que ele citou a saída de seu país da União Europeia foi para comparar com a história de Prometeu na mitologia grega, o que provocou risadas no plenário, informa o UOL.

Johnson concentrou sua fala nos riscos do avanço tecnológico,  questionou o poder das grandes empresas de tecnologia e o que o futuro reserva sobre o tema. 

Seus questionamentos e comparações provocaram risadas e chamaram a atenção da imprensa britânica, como o uso do termo "galinha aterrorizante e sem membros".

"IA [Inteligência Artifical] - o que isso significa? Robôs úteis lavando e cuidando de uma população em envelhecimento? Ou terminadores de olhos rosados enviados de volta do futuro para abater a raça humana?", disse. "O que a biologia sintética representa - restaurar nossos fígados e olhos com a milagrosa regeneração dos tecidos, como uma cura fantástica para a ressaca? Ou trará galinhas aterrorizantes e sem membros para nossas mesas. A nanotecnologia nos ajudará a vencer a doença ou deixará pequenos robôs se replicarem nas fendas de nossas células?".

Em seguida, o premiê comparou o avanço tecnológico com punição divina e faz uma conexão com o mito grego de Prometeu ao Brexit. "Quando Prometeu trouxe fogo à humanidade {...], Zeus o castigou acorrentando-o a um penhasco tartárico enquanto seu fígado era picado por uma águia e toda vez que seu fígado recuperava, a águia voltava e bicava de novo...".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email