Brasil comete novo ato de ingerência contra Venezuela

O Brasil se somou a outros países, como Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Paraguai e Peru para pedir que a Organização de Estados Americanos (OEA) aprove nesta segunda-feria (13) uma resolução para condenar a detenção do primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela (AN, parlamento), o opositor Edgar Zambrano

Brasil comete novo ato de ingerência contra Venezuela
Brasil comete novo ato de ingerência contra Venezuela

EFE - O Brasil se somou a outros países, como Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Paraguai e Peru para pedir que a Organização de Estados Americanos (OEA) aprove nesta segunda-feria (13) uma resolução para condenar a detenção do primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela (AN, parlamento), o opositor Edgar Zambrano.

O texto será apresentado durante a sessão do Conselho Permanente da OEA, diante da decisão tomada pela Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela de retirar a imunidade parlamentar de sete deputados da Assembleia Nacional, que tem maioria opositora.

A resolução procura rejeitar a decisão da Assembleia Nacional Constituinte e respaldar à Assembleia Nacional. Além disso, as sete nações buscam "condenar a detenção do primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional, Edgar Zambrano Ramírez, exigindo a sua imediata libertação".

Conforme o texto, a resolução pede ainda "o fim da perseguição e do assédio aos deputados indevidamente processados" e que seja garantida a proteção da integridade física deles e dos familiares.

Para ser aprovada, qualquer resolução precisa do voto a favor de 18 dos 34 países que são membros ativos da OEA (Cuba pertence ao organismo, mas não participa desde 1962). Assim, o texto não é definitivo e poderia ser modificado durante a sessão.

Ao todo, dez deputados da opositora Assembleia Nacional, entre eles Zambrano, foram acusados de participação no fracassado levante militar liderado em 30 de abril pelo chefe do Parlamento, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por 54 países. Zambrano foi detido na quarta-feira pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247