China revoga licença de jornalistas do The Wall Street Journal

O governo da China anunciou nesta quarta-feira que revogará a licença de trabalho no país para três profissionais do jornal americano The Wall Street Journal, devido à publicação de um artigo considerado depreciativo e racista

Geng Shuang
Geng Shuang (Foto: Reprodução (Youtube))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em resposta à publicação de um artigo depreciativo e racista a respeito do surto do novo coronavírus na China, o governo do país vai revogar a licença de trabalho de três jornalistas do jornal estadunidense The Wall Street Journal.

No último dia 3, o veículo publicou um texto sobre a resposta das autoridades locais à epidemia do novo coronavírus, que recebeu o título de "China, o verdadeiro doente da Ásia".

Segundo o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do país, Geng Shuang, o artigo "provocou grande indignação entre a população chinesa, assim como a condenação generalizada da comunidade internacional".

A expressão "O doente da Ásia" foi utilizada de forma depreciativa no fim do século 19 e princípio do 20, para se referir à China, então castigada por divisões internas e tentativas de colonização das potências ocidentais, que obrigaram a assinatura de uma série de tratados para obter concessões comerciais.

Informações da EFE.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email