Congresso mundial de trabalhadores promove ato em defesa de Lula

Um grande ato em defesa da liberdade do ex-presidente Lula, preso arbitrariamente desde o último dia sete de abril, mobilizou mais de mil sindicalistas nesta terça-feira (4), durante o 4° Congresso da Confederação Sindical Internacional (CSI), que ocorre em Copenhagen, capital da Dinamarca; o ex-presidente enviou uma carta aos participantes do fórum, pedindo união do movimento sindical; "Temos uma grande batalha pela frente", disse Lula

Congresso mundial de trabalhadores promove ato em defesa de Lula
Congresso mundial de trabalhadores promove ato em defesa de Lula

247 -  Um grande ato em defesa da liberdade do ex-presidente Lula, preso arbitrariamente desde o último dia sete de abril, mobilizou mais de mil sindicalistas nesta terça-feira (4), durante o 4° Congresso da Confederação Sindical Internacional (CSI), que ocorre em Copenhagen, capital da Dinamarca. 

Com cartazes reivindicando a soltura imediata do ex-presidente, os sindicalistas lotaram o salão central do evento e demonstraram sua indignação pela prisão política de Lula.  

Lula envia carta aos sindicalistas 

Lula enviou  uma carta aos participantes do Congresso. “Temos uma grande batalha pela frente, mas saber que podemos contar com a solidariedade incondicional de milhões de trabalhadores e trabalhadoras nos dá ainda mais convicção de que vamos vencer mais essa”, escreveu o ex-presidente. Leia a íntegra aqui

O que é o Congresso da Confederação Sindical Internacional 

Segundo informa reportagem da CUT, "Mudar as Regras" (Change The Rules) é o tema do 4° Congresso da Confederação Sindical Internacional (CSI), que teve início neste domingo (2). Até a próxima sexta-feira (7), mais de 1.200 sindicalistas de 132 países vão discutir as estratégias de luta para garantir a defesa dos direitos da classe trabalhadora de todo o planeta.

A CSI representa 207 milhões de trabalhadores e trabalhadoras de 331 sindicatos nacionais, em 163 países. O Congresso também elegerá a nova direção da entidade para os próximos quatro anos.

O primeiro ministro da Dinamarca, Lars Løkke Rasmussen, destacou a importância da CSI na luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora em todo o mundo e sugeriu aos sindicalistas a criação de um ambiente mundial em que sindicatos e empregadores trabalhem juntos para atingir um equilíbrio entre direitos e responsabilidades.

“E se criássemos uma sociedade em que todos os cidadãos tivessem uma chance justa, independentemente de raça ou origem?”, questionou o líder político. 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247