Corte Internacional de Justiça se declara competente para julgar as sanções nucleares dos EUA contra o Irã

Os juízes do Tribunal Internacional de Justiça (CIJ), o principal tribunal da ONU, se declararam competentes para julgar as sanções nucleares impostas pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra o Irã, que pretende suspendê-las

Corte Internacional de Justiça da ONU
Corte Internacional de Justiça da ONU (Foto: Eva Plevier/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Nesta quarta-feira (3), o Tribunal Internacional de Justiça (CIJ), que é a principal corte da ONU, anunciou que é uma instância competente para julgar as sanções unilaterais dos EUA contra o Irã decretadas pelo ex-presidente Donald Trump. 

"O Tribunal determina que tem jurisdição, com base no parágrafo 2 do Artigo XXI do Tratado de Amizade, Relações Econômicas e Direitos Consulares de 1955, para ouvir o Requerimento apresentado pela República Islâmica do Irã de 16 de julho de 2018. O pedido é admissível ”, diz o comunicado publicado no site do tribunal, segundo informações da RT.

O Irã entrou com a ação depois que a administração Trump anunciou em maio de 2018 a retirada de seu país do Plano de Ação Conjunta (JCPOA) assinado pelo Irã e pelo Grupo 5 + 1 (Reino Unido, China, França, Rússia, EUA e Alemanha) em 2015.

O acordo estipulava o levantamento de uma série de sanções contra a nação persa em troca de seu compromisso de não desenvolver ou adquirir armas nucleares. Depois de retirar os EUA do acordo, Trump anunciou o estabelecimento de novas sanções contra o Irã.

Os Estados Unidos tentaram argumentar que o Irã não pode basear suas reivindicações à CIJ no Tratado de Amizade bilateral de 1955. No entanto, os juízes de Haia concluíram que o pacto pode de fato ser usado como base para procedimentos legais.

“O tribunal rejeita por unanimidade as exceções preliminares à sua jurisdição levantadas pelos Estados Unidos da América, segundo as quais o objeto da disputa não está relacionado à interpretação ou aplicação” do referido acordo, indica o documento do tribunal. Todas as outras objeções do lado dos EUA também foram rejeitadas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email