Cuba condena sanções dos EUA contra Venezuela

O governo cubano classificou como arbitrária e agressiva a lei aprovada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, que considera a Venezuela uma ameaça à segurança nacional, além de estabelecer uma série de sanções contra funcionários e autoridades daquele país; o comunicado de Cuba é o primeiro em tom mais agressivo desde que os dois países reataram relações no final do ano passado, após meio século de afastamento.

O governo cubano classificou como arbitrária e agressiva a lei aprovada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, que considera a Venezuela uma ameaça à segurança nacional, além de estabelecer uma série de sanções contra funcionários e autoridades daquele país; o comunicado de Cuba é o primeiro em tom mais agressivo desde que os dois países reataram relações no final do ano passado, após meio século de afastamento.
O governo cubano classificou como arbitrária e agressiva a lei aprovada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, que considera a Venezuela uma ameaça à segurança nacional, além de estabelecer uma série de sanções contra funcionários e autoridades daquele país; o comunicado de Cuba é o primeiro em tom mais agressivo desde que os dois países reataram relações no final do ano passado, após meio século de afastamento. (Foto: Paulo Emílio)

247 - O governo cubano classificou como arbitrária e agressiva a lei aprovada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, que considera a Venezuela uma ameaça à segurança nacional, além de estabelecer uma série de sanções contra funcionários e autoridades daquele país. O comunicado de Cuba é o primeiro em tom mais agressivo desde que os dois países reataram relações no final do não passado após meio século de afastamento. O líder cubano Fidel Castro também criticou os EUA. 

"Cuba tomou conhecimento da arbitrária e agressiva Ordem Executiva emitida pelo presidente dos Estados Unidos contra o Governo da República Bolivariana da Venezuela, que classifica o país como uma ameaça a sua segurança nacional, em represália pelas medidas adotadas em defesa de sua soberania frente aos atos de ingerência das autoridades governamentais e do Congresso americano", diz a nota do governo cubano.

O líder cubano Fidel castro, também por meio de carta, felicitou o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, pelo "brilhante e corajoso discurso frente aos brutais planos do Governo dos Estados Unidos". "Tuas palavras passarão para a história como prova de que a humanidade pode e deve conhecer a verdade", disse Castro.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247