Cuba faz apelo contra a pandemia: 'globalizar a solidariedade'

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel fez um apelo à solidariedade mundial para combater a pandemia, ao constatar que a complexa situação causada pela disseminação do coronavírus demonstra a fragilidade de um mundo fraturado

Miguel Díaz-Canel
Miguel Díaz-Canel (Foto: Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente de Cuba fez um chamado pela solidariedade global, durante reunião de trabalho do Movimento Não-Alinhado (Mnoal), realizada nesta segunda-feira (4) por videoconferência.

O alto número de infectados e as grandes perdas humanas mostram um impacto devastador em um mundo cada vez mais interconectado que, no entanto, não foi capaz de melhorar essa interconexão, disse ele.

Vamos dizer honestamente: se tivéssemos a solidariedade globalizada como o mercado globalizado, a história seria diferente, disse o presidente cubano.

Díaz-Canel se referiu ao enorme esforço feito por seu país para enfrentar a pandemia em meio à intensificação do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos. 

Ele lembrou que meses antes do surto do coronavírus, Cuba estava resistindo ao reforço desse cerco brutal dos Estados Unidos, que visam a estrangular completamente o comércio da ilha e seu acesso a combustível e divisas. 

É relevante a complementação e a solidariedade entre as nações do Terceiro Mundo diante das evidências de que a ajuda do norte industrializado será escassa, afirmou Díaz-Canel, que ao mesmo tempo expressou a disposição de Cuba para  compartilhar suas experiências com os países do Movimento dos Países Não Alinhados.

Na reunião, os chefes de Estado e de Governo adotaram uma declaração defendendo a necessidade de contribuir efetivamente para os esforços globais, a fim de lidar com os efeitos sem precedentes da pandemia.

O documento expressa uma forte condenação à promulgação e aplicação de medidas coercitivas unilaterais contra os Estados membros do Movimento dos Países Não Alinhados e insta a comunidade internacional a adotar ações urgentes e eficazes para eliminar seu uso.

O evento foi presidido pelo presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, e contou com a presença de cerca de vinte chefes de Estado, do Secretário Geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres, e do Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Informações da Prensa Latina

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247