Em resposta a Trump, Iraque aprova proibição de entrada de americanos

Parlamento iraquiano aprovou nesta segunda-feira, 30, uma proposta para proibir os cidadãos norte-americanos de entrarem no país; deputados iraquianos esperam que o governo adote "medidas recíprocas" aos Estados Unidos, após verem os seus cidadãos proibidos de entrar, graças ao decreto do presidente Donald Trump; ministro dos Negócios Estrangeiros iraquiano afirmou que espera que os EUA ainda "reconsiderem" a medida

Parlamento iraquiano aprovou nesta segunda-feira, 30, uma proposta para proibir os cidadãos norte-americanos de entrarem no país; deputados iraquianos esperam que o governo adote "medidas recíprocas" aos Estados Unidos, após verem os seus cidadãos proibidos de entrar, graças ao decreto do presidente Donald Trump; ministro dos Negócios Estrangeiros iraquiano afirmou que espera que os EUA ainda "reconsiderem" a medida
Parlamento iraquiano aprovou nesta segunda-feira, 30, uma proposta para proibir os cidadãos norte-americanos de entrarem no país; deputados iraquianos esperam que o governo adote "medidas recíprocas" aos Estados Unidos, após verem os seus cidadãos proibidos de entrar, graças ao decreto do presidente Donald Trump; ministro dos Negócios Estrangeiros iraquiano afirmou que espera que os EUA ainda "reconsiderem" a medida (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O parlamento iraquiano aprovou nesta segunda-feira, 30, uma proposta para proibir os cidadãos norte-americanos de entrarem no país.

Os deputados iraquianos esperam que o governo adote "medidas recíprocas" aos Estados Unidos, após verem os seus cidadãos proibidos de entrar, graças ao decreto do presidente Donald Trump.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraquiano afirmou esta segunda-feira que espera que os EUA ainda "reconsiderem" a medida.

O Irã, que consta dos sete países banidos por Trump, já tomou a mesma medida (leia mais). Iraque, Síria, Irão, Sudão, Líbia, Somália e Iémen são os sete países visados pela medida da nova administração norte-americana.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email