Equador limita cobertura da imprensa em ano eleitoral

O presidente Rafael Correa v na medida uma maneira de impedir que os meios de comunicao atuem como "um ator poltico ilegtimo"

Equador limita cobertura da imprensa em ano eleitoral
Equador limita cobertura da imprensa em ano eleitoral (Foto: Divulgação)

247 com agências internacionais - Entrou em vigor nesta segunda-feira no Equador o controverso Código da Democracia, a lei aprovada em janeiro que limita a cobertura da imprensa em ano de eleição.

Em seu artigo mais polêmico, o 21, o Código da Democracia determina que durante a campanha eleitoral, os meios de comunicação "se absterão de fazer promoção direta ou indireta, seja através de reportagens, especiais ou qualquer outra forma de mensagem que possa incidir a favor ou contra um determinado candidato, opiniões, preferências eleitorais ou tese política".

Para opositores e organizações de imprensa, o projeto, além de censurar, deixa os meios de comunicação suscetíveis a processos judiciais por trabalhos publicados durante a campanha para as eleições presidenciais, marcadas para 2013.

O presidente Rafael Correa, no entanto, vê na medida uma maneira de impedir que a imprensa atue como "um ator político ilegítimo". O líder acusou a imprensa de mentir ao afirmar que a intenção da reforma é aplacar as vozes independentes. Ele afirmou que não proibirá entrevistas ou reportagens sobre candidatos. (Efe)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247