Especialistas dizem que remédios usados por Trump não fazem parte de protocolo para a Covid-19

"A recomendação num caso de moderada gravidade em um homem de 74 anos seria controlar as comorbidades dele, se houver, fazer uso de anticoagulantes e tratar a complicações que houverem da doença", destaca pneumologista da Fiocruz, Margareth Dalcolmo

Presidente dos EUA, Donald Trump, em Swanton, Ohio 21/09/2020
Presidente dos EUA, Donald Trump, em Swanton, Ohio 21/09/2020 (Foto: REUTERS/Tom Brenner)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente americano, Donald Trump, testou positivo para a Covid-19 e teria iniciado um tratamento com um coquetel sintético de anticorpos produzidos pela farmacêutica Regeneron, além de receber doses de zinco, vitamina D, famotidina, melatonina e aspirina.

Mas de acordo com especialistas ouvidos pelo jornal O Globo, esse medicamentos não fazem parte do protocolo de tratamento para o novo coronavírus.

Segundo Margareth Dalcolmo, pneumologista da Fiocruz, esse tipo de tratamento não faz parte dos protocolos validados para tratar a Covid-19 e disse que a recomendação para casos como o de Trump é o uso de anticoagulantes, já que o coronavírus aumenta as chances de trombose.

"A recomendação num caso de moderada gravidade em um homem de 74 anos seria controlar as comorbidades dele, se houver, fazer uso de anticoagulantes e tratar a complicações que houverem da doença. Essa foi uma medida, digamos assim, profilática e que, na verdade, não é um tratamento", destaca Dalcolmo.

"Esse tipo de coquetel usa vários anticorpos diferentes e que tem especificidades diferentes. Então eles vão grudar em pedaços diferentes da proteína do vírus. Não é um tratamento de praxe, mas, nesse caso, foi o que chamam nos Estados Unidos de “uso de compaixão”. Isso quer dizer, não sabem o que fazer, aí usam algo experimental", explica o professor e pesquisador Alessandro Farias, coordenador da Frente de Diagnóstico da Força-Tarefa da Unicamp contra a Covid-19.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247