Estado Islâmico queima vivos desertores no Iraque

"Os representantes dos terroristas queimaram vivos sete companheiros que fugiram de um combate na região da cidade de Fallujah", informou o canal de televisão Fox; segundo a informação, os desertores foram amarrados e levados para uma caldeira com água fervendo; comandantes do Estado Islâmico mataram 19 pessoas que se negaram a participar de um combate no centro da cidade

"Os representantes dos terroristas queimaram vivos sete companheiros que fugiram de um combate na região da cidade de Fallujah", informou o canal de televisão Fox; segundo a informação, os desertores foram amarrados e levados para uma caldeira com água fervendo; comandantes do Estado Islâmico mataram 19 pessoas que se negaram a participar de um combate no centro da cidade
"Os representantes dos terroristas queimaram vivos sete companheiros que fugiram de um combate na região da cidade de Fallujah", informou o canal de televisão Fox; segundo a informação, os desertores foram amarrados e levados para uma caldeira com água fervendo; comandantes do Estado Islâmico mataram 19 pessoas que se negaram a participar de um combate no centro da cidade (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Sputnik Brasil

Terroristas do Estado Islâmico (EI) executaram vários membros do grupo que desertaram durante um combate no Iraque. "Os representantes dos terroristas queimaram vivos sete companheiros que fugiram de um combate na região da cidade de Fallujah", informou o canal de televisão Fox, citando testemunhas.

Segundo a informação, os desertores foram amarrados e levados para uma caldeira com água fervendo. O canal de televisão disse, ainda, que os comandantes do Estado Islâmico mataram 19 pessoas que se negaram a participar de um combate no centro da cidade.

Fallujah, localizada na província iraquiana de Anbar, a cerca de 65 quilômetros de Bagdá, foi ocupada por terroristas do EI no início de 2014 e está sendo usada por eles para lançar ataques contra a capital iraquiana.

Analistas da Organização das Nações Unidas disseram que os habitantes podem voltar à cidade só em agosto porque muitos bairros estão cheios de minas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247