EUA doarão 500 milhões de vacinas da Pfizer para países de 'baixa renda'; Brasil e Argentina ficam de fora

Brasil integra consórcio da OMS que fará a distribuição do imunizante, mas não será beneficiado por ser considerado capaz de comprar as próprias vacinas

Joe Biden / Pfizer
Joe Biden / Pfizer (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo dos EUA e a farmacêutica Pfizer assinaram um acordo para fornecer 500 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 para 92 países pobres. As doses do imunizante serão entregues até junho de 2022, por intermédio da aliança Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS), para países considerados de baixa renda e de renda "médio-baixa".

No entanto, apesar de integrar o consórcio, o Brasil ficou de fora da lista de beneficiados. Segundo a OMS, o país tem condições de comprar suas próprias vacinas. Além do Brasil, países como Argentina, Canadá e Reino Unido também não irão receber as doses dos EUA.

De acordo com reportagem do portal G1, os EUA pagarão um preço abaixo do praticado no mercado pelas doses e que 200 milhões delas serão distribuídas ainda em 2021. O restante, 300 milhões, será entregue no próximo ano.

O anúncio da doação de vacinas --a maior já feita por qualquer país-- chega depois de Biden se encontrar com presidentes das outras economias avançadas do G7 na Inglaterra.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email