EUA querem revisão dos acordos de Minsk, denuncia Rússia

EUA querem que os Acordos de Minsk sejam revisados, embora isso possa prejudicar o processo de paz na Ucrânia, disse a porta-voz Maria Zakharova

www.brasil247.com - Maria Zakharova
Maria Zakharova (Foto: Sputnik)


TASS - As declarações de Washington deixam claro que os Estados Unidos querem que os Acordos de Minsk sejam revisados, embora isso possa prejudicar o processo de paz na Ucrânia, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em uma entrevista na quarta-feira.

Ela apontou para a observação do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, de que a implementação dos Acordos de Minsk exigia "o sequenciamento apropriado".

"É estranho como os EUA estão tentando encontrar uma sequência em um documento onde toda a sequência de etapas é explicada para todas as partes", observou Zakharova. "Tais observações, e especialmente sua sincronicidade, deixam uma coisa clara: os EUA querem que o Pacote de Medidas seja revisado, o que pode levar ao colapso do processo de paz. Tudo isso incentiva o regime de Kiev a se envolver em mais escapadas, primeiro e sobretudo contra o seu próprio povo, bem como contra o direito internacional e o bom senso", sublinhou o diplomata.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O diplomata também mencionou declarações do ministro das Relações Exteriores ucraniano, Dmitry Kuleba, que descartou conceder status especial ao Donbass e disse que o diálogo com Donetsk e Lugansk não era obrigatório pelos acordos de Minsk.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Zakharova enfatizou que o "patrocinador dos EUA" de Kiev encorajou seu desprezo pelos Acordos de Minsk. Ela acrescentou que a Alemanha e a França também não mostraram uma reação adequada às declarações das autoridades de Kiev.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os esforços para encontrar uma solução pacífica para o conflito no Donbass baseiam-se nos Acordos de Minsk, que incluem particularmente medidas para declarar um cessar-fogo, retirar as armas, declarar uma anistia, restabelecer os laços econômicos e realizar a reforma constitucional na Ucrânia através do diálogo com os autoproclamados Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk (DPR, LPR), com o objetivo de descentralizar o poder e fornecer um status especial a certos distritos nas regiões de Donetsk e Lugansk. No entanto, o processo de negociação parou devido à recusa de Kiev em cumprir as disposições políticas dos acordos de Minsk. Em particular, Kiev está relutante em estabelecer qualquer diálogo direto com o DPR e o LPR e consagrar o status especial da região na constituição e exigir o controle da fronteira do Donbass com a Rússia antes da implementação das disposições políticas dos acordos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email