Evo Morales poderá se candidatar em 2019

O tribunal que analisa questões constitucionais da Bolívia decidiu favoravelmente ao projeto de lei que propõe a reforma da constituição visando a permitir que o presidente Evo Morales volte a se candidatar ao cargo nas eleições previstas para 2019; referendo deverá ocorrer em fevereiro de 2016; no momento, Morales está em seu terceiro mandato

O tribunal que analisa questões constitucionais da Bolívia decidiu favoravelmente ao projeto de lei que propõe a reforma da constituição visando a permitir que o presidente Evo Morales volte a se candidatar ao cargo nas eleições previstas para 2019; referendo deverá ocorrer em fevereiro de 2016; no momento, Morales está em seu terceiro mandato
O tribunal que analisa questões constitucionais da Bolívia decidiu favoravelmente ao projeto de lei que propõe a reforma da constituição visando a permitir que o presidente Evo Morales volte a se candidatar ao cargo nas eleições previstas para 2019; referendo deverá ocorrer em fevereiro de 2016; no momento, Morales está em seu terceiro mandato (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - O tribunal que analisa questões constitucionais da Bolívia decidiu favoravelmente ao projeto de lei aprovado pelo Congresso do país que propõe a reforma da constituição visando a permitir que o presidente Evo Morales volte a se candidatar ao cargo nas eleições previstas para 2019.

A informação foi dada ao jornal boliviano La Razón pelo juiz da corte constitucional Ruddy Flores. Com a medida, o tribunal deve convocar nova sessão para aprovar lei que permitirá a convocação de um referendo a fim de que a população se manifeste sobre a questão.

O referendo deverá ocorrer em fevereiro de 2016. Dependendo do resultado do referendo, o presidente Evo Morales e o vice-presidente Álvaro García Linera poderão se candidatar para um novo mandato no período de 2020-2025. No momento, Morales está em seu terceiro mandato.

A proposta de reforma parcial da constituição foi apresentada ao parlamento por movimentos sociais e sindicatos bolivianos.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247