Mercenários presos na Venezuela eram guarda-costas de Trump

Foram presos 17 mercenários nos últimos dois dias no país bolivariano; e outros oito foram detidos em confronto

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fania Rodrigues, de Caracas | Venezuela, na Revista Forum - Nos últimos dois dias a Venezuela desarmou duas operações com mercenários vinculados a grupos opositores ao governo de Nicolás Maduro e a forças de segurança dos Estados Unidos. Ex-militares do país bolivariano e estrangeiros tentaram entrar via marítima em território venezuelano, com armas de alto calibre, como fuzis, rádios via satélite, granadas e até metralhadoras. A ação armada foi batizada de Operação Gedeón. Em terra, foram apreendidas seis caminhonetes 4×4 e centenas de quilos de munição.

No domingo (03/05) foram detidos oito mercenários que chegavam em lanchas rápidas pela costa da cidade La Guaira, estado de Vargas, zona metropolitana de Caracas, e onde está localizado o principal aeroporto do país, o aeroporto internacional Simón Bolívar. Outros dois homens foram presos nas proximidades da zona costeira, enquanto fugiam. Um deles é funcionário da Agencia de Combate às Drogas dos Estados Unidos (DEA, pela sigla em inglês), segundo informações das autoridades.

Confira a reportagem completa na Revista Forum.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247