George Floyd tinha sido contaminado pelo coronavírus, diz autópsia

De acordo com a autópsia, o rapaz negro George Floyd também tinha uma doença cardíaca e um histórico de problemas com pressão alta. Ele foi morto, após ser asfixiado por um policial branco

George Floyd
George Floyd (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A autópsia do cidadão negro americano George Floyd, morto após ser asfixiado por um policial branco, revelou que o homem havia contraído o coronavírus e recebeu o diagnóstico da doença no dia 3 de abril. Ele morreu em 3 de maio, no hospital, onde sofreu uma parada cardíaca. A informação foi publicada por veículos de imprensa como a CNN dos Estados Unidos e a respeitada agência de notícias Associated Press (AP). 

De acordo com a autópsia, de 20 páginas, Floyd tinha uma doença cardíaca e um histórico de problemas com pressão alta. Também foram apontados vestígios moderados de metanfetamina e fentanil (um tipo de opioide usado para dor).

Os agentes envolvidos na morte foram presos e acusados formalmente. Floyd teria tentado fazer uma compra com uma nota falsa. Protestos aconteceram em vários contra o racismo. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247