Grã-Bretanha lamenta morte de parlamentar e coloca referendo no limbo

A Grã-Bretanha entrou em luto nesta sexta-feira pela parlamentar Jo Cox após um homem armado matá-la em um ataque que colocou no limbo o referendo de 23 de junho sobre a permanência na União Europeia; a morte gerou uma pausa na campanha sobre o referendo da UE

Flores em homenagem a Jo Cox deixadas em Londres. 17/06/2016 REUTERS/Stefan Wermuth
Flores em homenagem a Jo Cox deixadas em Londres. 17/06/2016 REUTERS/Stefan Wermuth (Foto: Gisele Federicce)

BIRSTALL, Inglaterra (Reuters) - A Grã-Bretanha entrou em luto nesta sexta-feira pela parlamentar Jo Cox após um homem armado matá-la em um ataque que colocou no limbo o referendo de 23 de junho sobre a permanência na União Europeia.

Jo Cox, apoiadora da permanência britânica na UE, foi baleada e repetidamente esfaqueada em seu distrito eleitoral, próximo a Leeds, no norte da Inglaterra, por um homem que, segundo testemunhas, gritou "Grã-Bretanha primeiro".

Um homem de 52 anos foi preso por autoridades próximas ao local e armas, incluindo uma arma de fogo, foram recuperadas.

A morte gerou uma pausa na campanha sobre o referendo da UE. Embora os motivos do assassino não sejam imediatamente claros, alguns especulam que simpatia por Jo pode impulsionar a campanha de permanência, que foi recentemente superada pelos que defendem a saída do país do bloco europeu.

A polícia informou que não estava em posição de discutir o motivo do ataque.

"Jo acreditava em um mundo melhor e ela lutou por isso todos os dias de sua vida com uma energia e entusiasmo pela vida que deixariam a maioria das pessoas exaustas", disse o viúvo de Jo, Brendan.

A bandeira britânica foi hasteada em meio mastro sobre o Parlamento, Downing Street e Palácio de Buckingham, enquanto centenas de pessoas em Birstall realizaram uma homenagem em uma igreja local.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247