Holanda ganha novo rei depois de 120 anos

Rainha Beatrix abdicou nesta terça-feira em favor do seu filho primogênito, Willem-Alexander, que se tornou o primeiro rei do país em mais de 120 anos; cerca de 25 mil pessoas aplaudiram a transferência dinástica em frente ao Palácio Real, em Amsterdã; expectativa é de que ele dará um toque mais informal à monarquia, inclusive pela presença de sua mulher, a argentina Maxima

Holanda ganha novo rei depois de 120 anos
Holanda ganha novo rei depois de 120 anos (Foto: Robin Utrecht)

Por Gilbert Kreijger e Thomas Escritt

AMSTERDÃ, 30 Abr (Reuters) - A rainha Beatrix, da Holanda, abdicou nesta terça-feira em favor do seu filho primogênito, Willem-Alexander, que se tornou o primeiro rei da Holanda em mais de 120 anos.

Cerca de 25 mil pessoas aplaudiram a transferência dinástica em frente ao Palácio Real, em Amsterdã. A cerimônia, que incluiu a abdicação e automática sucessão do trono, foi transmitida ao vivo pela TV.

Desde a manhã uma multidão se aglomerava na praça Dam para ver o novo rei e sua esposa, a rainha Maxima, na sacada do palácio. Beatrix conteve as lágrimas ao apresentar seu filho.

"Há alguns momentos, abdiquei ao trono. Estou feliz e grata por lhes apresentar seu novo rei", disse Beatrix, de 75 anos, que agora assume o título de princesa.

Vestindo um sóbrio vestido roxo, Beatrix assinou o documento de abdicação diante de ministros, do filho e da nora, que usava um vestido rosa-claro com um enorme laço sobre o ombro esquerdo.

Existe a expectativa de que Willem-Alexander, de 46 anos, especialista em gestão hídrica, trará um toque mais informal à monarquia, inclusive pela presença de Maxima, uma argentina que fez carreira em bancos de investimento.

Beatrix optou por se aposentar após 33 anos como rainha, seguindo assim a tradição da sua mãe e da sua avó.

O dia 30 de abril é celebrado anualmente na Holanda como o Dia da Rainha, motivo de grande festa popular, e a cerimônia deste ano representou um motivo adicional para celebração, num momento em que a forte queda nos preços imobiliários, o aumento do desemprego e a redução da confiança dos consumidores empurraram o país para uma recessão.

Há dias Amsterdã está enfeitada de laranja, a cor da realeza. As casas foram cobertas por bandeiras e bandeirolas, e as vitrines ficaram cheias de bolos, doces, roupas e flores, tudo na cor laranja.

Muita gente tirou folga do trabalho e começou a comemorar já na noite de segunda. Quase 1 milhão de pessoas eram esperadas nas festas de rua, com bandas e DJs contribuindo para a atmosfera animada.

A realeza da Holanda é imensamente popular. Uma pesquisa do instituto Ipsos mostrou que a aprovação a esse regime subiu de 74 por cento no ano passado para 78 por cento. Mas os reis e rainhas da Holanda não têm mais nenhuma influência política -- nem mesmo para nomear um mediador que conduza discussões exploratórias na formação de coalizões de governo.

COROA SOBRE A MESA

O príncipe Charles (Reino Unido) e a princesa herdeira Masako (Japão) estão entre os 2.000 convidados da cerimônia oficial de investidura na Nieuwe Kerk (Igreja Nova), de 600 anos. Ali, diante de parlamentares, o novo rei irá jurar respeito à Constituição.

Monarcas holandeses nunca são coroados, porque, na ausência de uma Igreja oficial, não há um clérigo disponível para realizar a coroação. Mas a coroa existe, e ela ficará sobre uma mesa ao lado do novo rei durante toda a cerimônia, junto com outras joias da monarquia.

Willem-Alexander vestirá um manto usado nas investiduras desde 1815 -- embora a peça já tenha sido restaurada e alterada pelo menos duas vezes no último século, para as investiduras da mãe e da avó dele.

A festa deve continuar noite adentro, com um desfile fluvial no rio IJ.

Em época de cortes orçamentários, o governo prometeu moderação na festança. As cerimônias desta semana custarão cerca de 12 milhões de euros, sem contar as despesas com segurança.

(Reportagem adicional de Sara Webb)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247