Imigrantes insatisfeitos com centros de detenção deveriam ficar em casa, diz Trump

Presidente dos EUA, Donald Trump, disse que os imigrantes insatisfeitos com as condições dos centros de detenção deveriam ser orientados a “não vir”; “Se imigrantes ilegais estão insatisfeitos com as condições dos centros de detenção construídos ou adaptados rapidamente, é só dizer para não virem. Todos os problemas resolvidos!”, postou no Twiiter denúncias dão conta de que os centros de detenção de imigrantes são marcados pela superlotação e pelo acesso inadequado a alimentação, água e outras necessidades básicas

(Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que enfrenta novas críticas de democratas e ativistas pela maneira como lida com a crise imigratória na fronteira EUA-México, disse no Twitter na quarta-feira que os imigrantes insatisfeitos com as condições dos centros de detenção deveriam ser orientados a “não vir”.

Parlamentares democratas e ativistas de direitos civis que visitaram centros de detenção de imigrantes ao longo da fronteira nos últimos dias descreveram um cenário de pesadelo, marcado pela superlotação e pelo acesso inadequado a alimentação, água e outras necessidades básicas.

Na terça-feira, o inspetor-geral do Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em inglês) publicou fotos de centros de acolhimento de imigrantes do Vale do Rio Grande, no Texas, com o dobro de pessoas para os quais foram construídos.

“Se imigrantes ilegais estão insatisfeitos com as condições dos centros de detenção construídos ou adaptados rapidamente, é só dizer para não virem. Todos os problemas resolvidos!”, disse Trump no Twitter.

O presidente republicano fez da repressão da imigração ilegal um pilar da agenda de seu primeiro mandato depois de adotá-la como plataforma de campanha antes da eleição de 2016.

“As pessoas de nossa patrulha de fronteira não são funcionários de hospital, médicos ou enfermeiras”, tuitou Trump anteriormente. “Grande trabalho da patrulha de fronteira. Muitos destes estrangeiros ilegais estão vivendo muito melhor agora do que... onde vieram, e em condições muito mais seguras”.

As críticas à Agência de Alfândega e Proteção da Fronteira aumentaram depois de reportagens desta semana segundo as quais agentes antigos e atuais publicaram comentários anti-imigrantes ofensivos e contra parlamentares em um grupo privado no Facebook.

Na quarta-feira, o chefe interino do DHS, Kevin McAleenan, ordenou uma investigação das postagens, classificando os comentários como “perturbadores”.

As postagens no Facebook, relatadas inicialmente pelo site ProPublica, incluíram piadas sobre a morte de imigrantes e conteúdo sexual explícito referente à deputada Alexandria Ocasio-Cortez, democrata que fez críticas contundentes aos centros de detenção depois de uma visita nesta semana.

O líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, pediu a demissão de McAleenan e outros líderes de alto escalão da agência.

Após uma visita à fronteira nesta semana, o deputado democrata Joaquin Castro disse que os detidos não puderam tomar banho durante uma quinzena, foram privados de remédios e trancados em áreas com torneiras quebradas.

“Está claro que seus direitos humanos estão sendo negligenciados”, disse o parlamentar texano aos repórteres em uma teleconferência.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247