Incidente a 70 km da fronteira deixa dois mortos e reforça retórica de guerra

Indígenas e militares venezuelanos teriam entrado em confronto nesta sexta-feira (22) na cidade de Kumarakapay; uma mulher e seu marido foram mortos e ao menos outras 15 pessoas ficaram feridas - 4 em estado grave -, segundo autoridades de Gran Sabana, onde aconteceu o incidente

Incidente a 70 km da fronteira deixa dois mortos e reforça retórica de guerra
Incidente a 70 km da fronteira deixa dois mortos e reforça retórica de guerra (Foto: Reuters)

247 - Indígenas e militares venezuelanos teriam entrado em confronto nesta sexta-feira (22) na cidade de Kumarakapay. Uma mulher e seu marido foram mortos e ao menos outras 15 pessoas ficaram feridas - 4 em estado grave -, segundo autoridades de Gran Sabana, onde aconteceu o incidente.

Segundo autoridades ligadas ao autoproclamado presidente Juan Guaidó, os soldados abriram fogo com balas de borracha e gás lacrimogêneo quando os voluntários tentaram impedir que os veículos fechassem a passagem. 

Apesar do bloqueio, por volta das 9h desta sexta os militares venezuelanos liberaram a passagem de duas ambulâncias venezuelanas com pessoas feridas. As ambulâncias seguiram primeiro para o Hospital Délio Tupinambá, o único de Pacaraima, mas depois saíram com destino ao Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, a 215 km da fronteira.

Funcionários do hospital de Pacaraima disseram ao site G1 que os veículos transportavam ao menos três pessoas – duas delas feridas a tiros.

Pelo Twitter, Juan Gauidó, o opositor que se autoproclamou presidente interino da Venezuela, afirmou que o confronto em Kumarakapay deixou 1 morto e 12 feridos. O incidente cai como uma luva à retórica pró-guerra dos governos dos EUA, Brasil, Colômbia e da oposição de extrema-direita venezuelana.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247