Inundações desabrigam mais de um milhão de chineses

O saldo at agora de 57 mortos, 29 desaparecidos e 1,21 milho de desabrigados. A situao, que dever piorar antes do fim de semana, faz governo elevar nvel de alerta

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com agências internacionais – As fortes inundações que afetam várias províncias da China neste mês deixaram até agora o saldo de 57 mortos, 29 desaparecidos e 1,21 milhão de pessoas desabrigadas, segundo informou o Ministério de Assuntos Civis nesta terça-feira. Entre os locais mais afetados estão Henan (centro), Shaanxi (norte) e Sichuan (sudoeste).

A primeira estimativa de prejuízo é de 17,27 milhões de iuanes (US$ 2,7 milhões), ainda sem o acréscimo das perdas pelas plantações afetadas, que ocupam uma extensão de mais de 650 mil hectares inundados. Além disso, mais de 129 mil casas ficaram arrasadas pelas inundações. Em Sichuan, a situação deverá piorar antes do fim de semana.

O Ministério de Assuntos Civis elevou o nível de alerta a 4 graus para os próximos dias.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247