Junta militar de Mianmar bloqueia o Facebook

A junta de Mianmar bloqueou nesta quinta-feira o Facebook com o argumento de garantir a estabilidade. Ativistas disseram que pelo menos três pessoas foram presas em um protesto de rua contra o golpe que destituiu a líder eleita Aung San Suu Kyi

O presidente de Mianmar U Win Myint e a conselheira de Estado Aung San Suu Kyi
O presidente de Mianmar U Win Myint e a conselheira de Estado Aung San Suu Kyi (Foto: Global Times)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A rede social Facebook foi bloqueada em Mianmar. Suu Kyi, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, enfrenta acusações de importação ilegal de equipamentos de comunicação após a tomada do poder pelo exército na segunda-feira (1), que atraiu a condenação do Ocidente. Ela pede à junta que respeite a vitória esmagadora de seu partido nas eleições de novembro.

A oposição à junta surgiu fortemente no Facebook, que é a principal plataforma de internet do país. As mensagens do WhatsApp também foram bloqueadas, informa a Reuters.

O Facebook ainda estava disponível esporadicamente e manifestantes na  cidade de Mandalay o usaram para transmitir ao vivo o primeiro protesto de rua desde o golpe em um país com uma história sangrenta de repressão às manifestações.

“Protesto popular contra o golpe militar”, dizia uma das faixas.

O grupo de cerca de 20 pessoas gritou: “Nossos líderes presos, liberem agora, liberem agora”.

A rede social também tem sido usada para compartilhar imagens de uma campanha de desobediência por funcionários de hospitais governamentais em todo o país, com médicos parando de trabalhar ou usando fitas na cor vermelha da Liga Nacional para a Democracia de Suu Kyi.

Fotos divulgadas na quarta-feira mostraram trabalhadores do Ministério da Agricultura aderindo à campanha também.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email