Manifestantes protestam em Nova York contra homenagem a Bolsonaro

Cerca de 200 pessoas se reuniram nesta segunda, (14), na frente do hotel Marriott Marquis em Nova York, para protestar contra a Câmara de Comércio Brazil-Estados Unidos e o hotel, que insistiram em manter a premiação de Jair Bolsonaro, mesmo com assinaturas de mais de 82 mil pessoas numa petição iniciada pelo Senador estadual Brad Hoylman

Manifestantes protestam em Nova York contra homenagem a Bolsonaro
Manifestantes protestam em Nova York contra homenagem a Bolsonaro

247 - Cerca de 200 pessoas se reuniram nesta segunda, (14), na frente do hotel Marriott Marquis em Nova York, para protestar contra a Camara de Comércio Brazil-Estados Unidos e o hotel, que insistiram em manter a premiação de Jair Bolsonaro, mesmo com assinaturas de mais de 82 mil pessoas numa petição iniciada pelo Senador estadual Brad Hoylman.

O controverso prêmio motivou também a desaprovação do prefeito de Nova York, dois cancelamentos (Museu de História Natural e Restaurante Cipriani) , retirada de suporte de importantes corporações como Delta Airlines e Financial Times , muitos artigos de mídia e milhares de manifestações nas midias sociais.

O protesto foi mais um evento que envergonhou o presidente do Brasil

O grupo foi organizado pelo coletivo brasileiro Comitê Defend Democracy in Brazil de Nova York, com participação de 14 organizações, como o grupo Mulheres da Resistência, Rise and Resist, Revolting Lesbians, Jews for Peace, Amazon Watch, entre outras.

O ato se tornou muito artístico barulhento, firme e alegre com um toque jazzístico, marca da cidade de NY e teve musica da Rude mechanicals Orchestra, Reverend Billy & Stop Shopping Choir.

Os manifestantes de todas as idades, cores e países, persistiram embaixo de forte chuva por cerca de 3 horas.

Uma performance com camisetas com as letras da palavra Democracy e sangue no rosto mostravam aos convidados sua cumplicidade com a violência contra indígenas, comunidade LGBTQ, mulheres, racismo, cortes em políticas sociais e fascismo que Jair Bolsonaro representa e a contradição em ser premiado pela câmara de comércio que representa empresários que pregam responsabilidade social.

O protesto teve início no fim da tarde e continuou pela noite enquanto convidados em traje de gala chegavam para e evento sob vaias e olhares curiosos de outros hóspedes do Hotel Marriot.

“Estamos aqui para informar os convidados com o que estão se associando ao fazer parte desta homenagem incabível, e para que o Marriott hotel se arrependa de ter mantido o evento na sua sala de convenções. O que não surpreende, mas contrasta com os longos vestidos e penteados das mulheres e seus pares masculinos de traje a rigor, foi o dedo do meio que levantavam em direção aos manifestantes que avisavam aos demais que eles tinham sangue de crianças indígenas em suas mãos “ disse Nadia Comani do Comitê Defend Democracy in Brazil e completa: “Bolsonaro nao teve coragem de nos enfrentar o protesto de uma cidade democrática e humana, vindo inclusive do prefeito e ainda foi para uma escandalosa viagem com ministros e oficiais, com dinheiro público para Dallas, onde sua agenda de apenas um compromisso que é receber o prêmio das mãos de integrantes da camara na quinta feira. Vão ser recebidos com muito protesto também, pela coalizão que está se formando lá, com diversos gripos locais (#TexascancelBolsonaro ).

Ao vivo na TV 247 Youtube 247