Mercosul pode suspender Brasil se golpe passar

Quem fez o anúncio foi a chanceler do governo argentino, de Mauricio Macri, Susana Malcorra; cláusula democrática do bloco prevê sanções aos países que desrespeitarem os processos eleitorais; reunião de emergência entre chanceleres está sendo organizada para tratar da crise brasileira; Malcorra afirmou nesta segunda-feira 21 que o Mercosul pretende divulgar "o mais rápido possível" uma nota de apoio institucional ao governo da presidente Dilma Rousseff, alvo de um processo de impeachment no Congresso

Quem fez o anúncio foi a chanceler do governo argentino, de Mauricio Macri, Susana Malcorra; cláusula democrática do bloco prevê sanções aos países que desrespeitarem os processos eleitorais; reunião de emergência entre chanceleres está sendo organizada para tratar da crise brasileira; Malcorra afirmou nesta segunda-feira 21 que o Mercosul pretende divulgar "o mais rápido possível" uma nota de apoio institucional ao governo da presidente Dilma Rousseff, alvo de um processo de impeachment no Congresso
Quem fez o anúncio foi a chanceler do governo argentino, de Mauricio Macri, Susana Malcorra; cláusula democrática do bloco prevê sanções aos países que desrespeitarem os processos eleitorais; reunião de emergência entre chanceleres está sendo organizada para tratar da crise brasileira; Malcorra afirmou nesta segunda-feira 21 que o Mercosul pretende divulgar "o mais rápido possível" uma nota de apoio institucional ao governo da presidente Dilma Rousseff, alvo de um processo de impeachment no Congresso (Foto: Gisele Federicce)

247 – O Mercosul avalia suspender o Brasil caso haja golpe contra o governo da presidente Dilma Rousseff. O anúncio foi feito pela chanceler do governo argentino, do presidente Mauricio Macri, Susana Malcorra.

Segundo ela, há uma cláusula democrática do bloco que prevê sanções aos países que desrespeitarem os processos eleitorais. Por isso, está sendo organizada uma reunião de emergência entre chanceleres dos países do Mercosul para tratar da crise brasileira.

"Há uma cláusula democrática no Mercosul e é preciso ver se algum dos requisitos existe e pode ser aplicado. Não estou segura de – e não discutimos ainda – quais seriam as condições", disse Malcorra, segundo reportagem do correspondente em Buenos Aires Rodrigo Cavalheiro, do Estado de S. Paulo.

"Não está, agora, em nossa agenda que se aplique uma desvinculação temporária de Brasil do Mercosul, mas poderia eventualmente existir", afirmou ainda a chanceler argentina na tarde desta segunda-feira 21. Segundo ela, o Mercosul pretende divulgar "o mais rápido possível" uma nota em apoio institucional ao governo da presidente Dilma.

Um caso recente de punição por suspensão do Mercosul foi o Paraguai, em 2012, quando o então presidente Fernando Lugo foi destituído pelo Congresso. A suspensão só pode ser aplicada, porém, quando há votação unânime dos sócios do bloco. Sobre a situação do Brasil, não há unificação entre os líderes de países vizinhos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247