Nadal passa fácil por Federer e chega à 12ª final de Roland Garros

Antes do confronto da primeira semifinal de Roland Garros desta sexta-feira (7), tudo dizia respeito a números e estatísticas, mas assim que os grandes rivais Roger Federer e Rafael Nadal entraram na quadra central, tudo que importava era a habilidade sobrenatural dos dois com uma bola de tênis

Roland Garros 2019
Roland Garros 2019
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - Antes do confronto da primeira semifinal de Roland Garros desta sexta-feira, tudo dizia respeito a números e estatísticas, mas assim que os grandes rivais Roger Federer e Rafael Nadal entraram na quadra central, tudo que importava era a habilidade sobrenatural dos dois com uma bola de tênis.

Os forehands, voleios e o estilo agressivo de Nadal prevaleceram sobre a elegância e o timing quase perfeito de Federer e levaram o espanhol à sua 12ª final do Aberto da França com parciais de 6-3, 6-4 e 6-2.

Nadal jamais havia perdido para Federer nos cinco confrontos anteriores no torneio, mas não derrotava o suíço há cinco partidas no geral, uma sequência que já durava cinco anos.

Apesar de toda a expectativa, foi a sucessão de vitórias de Federer que chegou ao fim — e de forma brutal.

Os ventos fortes que sopravam dentro da quadra Philippe Chatrier favoreceram muito mais o estilo do espanhol, cujas bolas de topspin passavam a alguma distância da rede, o que resultou em seu triunfo de Grand Slam mais tranquilo sobre Federer desde que o derrotou por 6-1, 6-3 e 6-0 no mesmo local em 2008.

“É incrível, parabéns a Roger”, disse Nadal em quadra no final. É incrível jogar neste nível aos 37 anos”.

“Ele provavelmente é o melhor jogador da história, é um grande prazer jogar com ele”.

“As condições foram duras, com muito vento, estou muito feliz de estar de volta à final de Roland Garros, que é o torneio mais importante da minha carreira”.

A vitória de Nadal lhe dá a chance de chegar mais perto do recorde de 20 títulos de Grand Slam de Federer — hoje ele tem 17.

Para consegui-lo, porém, ele pode precisar derrotar o primeiro do mundo, Novak Djokovic, detentor de 15 títulos de Grand Slam. O sérvio enfrenta o quarto cabeça de chave, Dominic Thiem, ainda nesta sexta-feira na outra semifinal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247