Neoliberalismo de Macri deixa 35,4% da população argentina na pobreza

Presidente Mauricio Macri elevou de 27,3% para 35,4% o número de habitantes que vivem na pobreza. Estimativa é que ate o final do ano a pobreza alcance 37% dos argentinos

Presidente da Argentina, Mauricio Macri
Presidente da Argentina, Mauricio Macri (Foto: REUTERS/Agustin Marcarian)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A política neoliberal do presidente Mauricio Macri elevou drasticamente a pobreza na Argentina que chega a 35,4% dos habitantes do país, equivalente a 15 milhões de pessoas. O índice é 8,1 pontos maior que o registrado há um ano, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. A estimativa é que ate o final do ano a pobreza alcance 37% dos argentinos. 

Ao ser eleito, Macri – que está em campanha pela reeleição – pediu que os argentinos julgassem o seu governo pelo seu fracasso ou sucesso na luta contra a pobreza. Ao assumir a Casa Rosada, 29% dos argentinos encontravam-se em situação de miséria. 

Agora, caso vença as eleições, o peronista Alberto Fernández – que tem a ex-presidente Cristina Kirchner com sua vice – deverá herdar uma população onde a pobreza ultrapassa os 35%. 

Ainda conforme os dados do Instituto Nacional de Estatística, 7,7% dos argentinos estão desabrigados e uma em cada duas crianças, vivem na pobreza. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247