Netanyahu diz que Israel não vai recuar depois de avião derrubado pela Síria

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse neste domingo (11) que as forças israelenses continuariam com a ofensiva na Síria apesar da perda de um avião de guerra para as tropas inimigas pela primeira vez em 36 anos; a defesa síria abateu o caça F-16 quando retornava de uma incursão de bombardeio em posições apoiadas pelo Irã, que apoia o governo Assad, no início do sábado (10)

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, durante conferência em Jerusalém 07/12/2017 REUTERS/Ronen Zvulun
Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, durante conferência em Jerusalém 07/12/2017 REUTERS/Ronen Zvulun (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse no domingo que as forças israelenses continuariam com a ofensiva na Síria apesar da perda de um avião de guerra avançado para as tropas inimigas pela primeira vez em 36 anos.

A defesa síria derrubou o caça F-16 quando retornava de uma incursão de bombardeio em posições apoiadas pelo Irã na Síria no início do sábado. As forças apoiadas pelo Irã estão alinhadas com o presidente Bashar al-Assad na guerra civil de quase sete anos da Síria.

Israel então lançou uma segunda e mais intensa ofensiva aérea, atingindo o que disse serem 12 alvos iranianos e sírios na Síria, incluindo os sistemas de defesa aérea da Síria.

No entanto, Israel e Síria sinalizaram que não estão buscando um conflito mais amplo e, no domingo, a fronteira estava calma, embora Netanyahu tenha adotado um tom desafiador no domingo em um discurso em gabinete transmitido pela mídia israelense.

“Ontem, nós lançamos fortes ataques às forças do Irã e da Síria. Nós deixamos inequivocamente claro para todos que o nosso modus operandi não mudou nem um pouco”, disse ele.

O envolvimento do Irã no conflito da Síria, incluindo a implantação de forças apoiadas pelo Irã, perto das Colinas de Golã, ocupadas pelos israelenses, alarmou Israel, que prometeu revidar qualquer ameaça. Israel também acusou o Irã de planejar a construção de fábricas de mísseis de alta precisão no Líbano.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um monitor de guerra britânico, disse que as operações de Israel no sábado mataram pelo menos seis pessoas do governo sírio e das forças aliadas. Os meios de comunicação estatais sírios ainda não divulgaram quaisquer feridos ou danos.

    A derrubada do F-16 sobre o norte de Israel - quando a Força Aérea revidava o que disse ter sido uma incursão por um drone iraniano lançado da Síria - foi um revés raro para um país que conta com sua supremacia militar regional.

    A tripulação de dois homens do caça sobreviveu com lesões, e os generais israelenses insistiram que eles haviam infligido danos muito maiores na Síria - mesmo quando Damasco apontou um ganho estratégico na disputa de décadas com seu velho inimigo ao sul.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247